• Ceclin
ago 29, 2013 0 Comentário


Em Vitória, protesto dos mototaxistas exige fiscalização aos clandestinos

(Fotos: Marcio Souza/A Voz da Vitória).

Mototaxistas da Vitória de Santo Antão, na Zona da Mata do Estado, se mobilizaram na manhã desta quinta-feira (29), no Centro da cidade para dar início a um protesto no qual a pauta exige da Prefeitura a demarcação dos pontos de moto-táxi, além da enumeração dos coletes e capacetes. O protesto saiu defronte à agência do Banco do Brasil, na Avenida Mariana Amália por volta das 10h40, com destino à Prefeitura de Vitória.

Eles cobram também a fiscalização por parte dos agentes de trânsito do município no tocante aos mototaxistas clandestinos; proibição das motos modelo “Cinquentinha” de exercerem a atividade; fiscalização por parte do Ministério Público de Pernambuco (MPPE) para que se cumpra a Lei que permite apenas circular mototaxistas e motofretistas com a placa de aluguel; além da isenção dos juros dos Alvarás de funcionamento, bem como diminuir em 50% o valor cobrado aos motoqueiros em relação a cobrança que se faz pelos Alvarás dos Taxistas.

Dilson afirma que a população será beneficiada com a enumeração dos motociclistas que exercem a atividade, bem como o controle das atividades.

“Este controle feito através da demarcação é fundamental para o usuário, pois qualquer irregularidade pode ser anotada e levada ao conhecimento da Associação e das autoridades, tornando fácil a localização do infrator”, disse Dilson Lira, fundador da Associação dos Mototaxistas da Vitória (ATAV), ao Blog A Voz da Vitória.

Segundo ele, existe também uma proposta da Prefeitura em apenas permanecer com o número de 40 mototaxistas na principal avenida da cidade – Mariana Amália – um efetivo considerado como insuficiente para obedecer à demanda, principalmente nos finais de semana.

Confira a entrevista de Dilson Lira a respeito da identificação e enumeração dos mototaxistas: