Ceclin
out 25, 2016 0 Comentário


Em Vitória, estudantes fazem protesto na Avenida Mariana Amália contra a reforma e a PEC 241

14720459_1458928917457282_4055053466010119834_n

Foto: Wesllen Mneclesis

Cerca de 200 pessoas participam nesta manhã de terça (25) de uma manifestação promovida pelos estudantes da UFPE e do IFPE campus de Vitória de Santo Antão, na Zona da Mata. O protesto pelas principais ruas do centro comercial se posiciona contrário a reforma do ensino médio brasileiro e a PEC 241, ambas propostas pelo Governo Federal. A PEC estabelece congelamento de investimentos nas áreas sociais pelos próximos 20 anos, conforme propõe o governo Temer, independente da arrecadação da União e propõe cortes nos orçamentos da educação e da saúde, concessão de benefícios como o Bolsa Família, aumento de impostos e da idade mínima para contribuição da aposentadoria, além de privatizações.

A manifestação segue pacificamente e segundo informações da Guarda Municipal que vem acompanhando todo o percurso, não há qualquer implicação.

Inúmeros professores também participaram da manifestação. Em nota divulgada pela Associação dos Docentes da UFPE (Adufepe), a proposta é chamada de “PEC da Maldade e PEC dos Desmontes”. Segundo o texto, “a medida é um ataque direto aos direitos constitucionais (adquiridos em anos de lutas) e ao cerne do papel social do Estado – refletindo nas políticas públicas para a saúde, educação e, por fim, aos serviços sociais”.

A categoria também se coloca contra a Medida Provisória (MP) 746, que reforma o Ensino Médio, e a PLC 54, que renegocia a dívida dos Estados com a União, mas condiciona a repactuação à adequação de investimentos no setor público. “A Adufepe repudia veementemente qualquer projeto de lei que vem com o objetivo de reduzir o Estado Brasileiro”, conclui a nota. Os docentes avisam ainda que não descartam a possibilidade de participar de uma greve geral dos servidores públicos federais, convocada pelas centrais sindicais para o dia 9 de novembro.