Ceclin
ago 08, 2016 0 Comentário


Em Gravatá, Rafael Prequé desiste de ser candidato e em carta aberta explicou por qual razão

Prequé

O vice-prefeito de Gravatá, Rafael Prequé (PRB), falou pela primeira vez os motivos que acarretaram sua desistência de ser candidato nas eleições deste ano. O desabafo é encontrado em carta aberta divulgada pelo vice-prefeito através das redes sociais no domingo (7).

O Governador, seu Deputado e o seu jurídico não deixaram eu exercer o meu Papel de Vice-Prefeito, que é substituir o Prefeito em seus afastamentos e impedimentos, pois sou Vice-Prefeito e não Vice-Interventor. Toda esta perseguição aconteceu por eu não aceitar e não baixar a cabeça, ao ambicioso e pessoal plano do Governador do seu Deputado e do PSB de tomar a Prefeitura de Gravatá a todo custo sem o voto da população, acham pouco todo golpismo, ainda, tentaram cooptar o meu novo partido PRB”, desabafou inicialmente Rafael.

Em trecho da carta, Rafael Prequé destacou que o governador Paulo Câmara é o responsável pela pior gestão municipal da história de Gravatá: “O Governador de Pernambuco, responsável direto pela pior gestão municipal da história de Gravatá, junto com sua Invenção, o interventor, não sossegou em tentar denegrir minha imagem, tentando me humilhar, constranger e ameaçar, quando, irresponsavelmente, me convocou a me apresentar na Prefeitura de Gravatá, como todos ficaram sabendo”, destacou o vice-prefeito.

Rafael frisou que sempre sonhou ser prefeito da cidade, no entanto revelou porque deixou o processo eleitoral deste ano de lado: “Sonhei com meus conterrâneos com toda a população e me preparei por diversos anos para ser Prefeito de Gravatá, hoje posso dizer que estou pronto e capacitado para ser um Gestor, porém o desgaste e a perseguição politica e pessoal que sofri, a crise financeira instalada no País, exige de minha parte prudência em reconhecer que este não é o melhor momento para eu disputar essa eleição, pois preciso me dedicar a minha família e minha profissão, buscando, ainda mais, capacitação profissional e política”, finalizou.

 

Gravatá Notícias