Ceclin
dez 01, 2016 0 Comentário


Em Glória do Goitá, homem acusado de matar criança a facadas é condenado

g-3

O réu confesso, Adriano Batista dos Anjos, 22 anos, foi condenado em regime fechado há 26 anos, 6 meses e 45 dias pela morte do garoto Gabriel Paulino dos Santos, de 8 anos de idade, em Glória do Goitá, na Mata Norte. O julgamento aconteceu na quarta- feira (30), na Câmara de Vereadores do município. O Conselho de Sentença do Tribunal do Júri formado por 5 homens e 2 mulheres acolheu a tese do Ministério Público que apontou o homicídio como qualificado.

O presidente do tribunal do júri, Lauro Pedro dos Santos Neto, explica que o resultado da sentença foi em virtude do acusado “por motivo torpe, meio cruel e recurso que impossibilitou a defesa da vítima ter praticado o crime”. Um dos agravantes foi a ocultação de cadáver, pois “os autos do processo apontaram que além de assassinar a vítima o acusado ocultou o cadáver numa cisterna da casa da mãe”. Durante o julgamento Adriano Batista dos Anjos, ficou calado, não respondeu a nenhuma pergunta do juiz, promotor e nem do defensor público. Ele vai cumprir a sentença na Penitenciária Ênio Pessoa Guerra, localizada no município de Limoeiro.

A mãe do garoto Severina Paulina da Silva ressalta que a pena não foi a esperada pela família. “Ainda foi pouco era para ele ter pego 50 anos pra frente de cadeia. Mais pelo menos a Justiça foi feita. Não vou ter mais meu filho de volta, é uma dor muito grande e eu nunca vou esquecer”, contou. Gabriel Paulino foi morto no dia 07 de junho de 2015, no Distrito de Apoti, zona Rural de Glória do Goitá, no lugar do padrasto.

Voz do Planalto