Ceclin
set 17, 2013 0 Comentário


Em estado de alerta, Hemope pede socorro à população

Folha de Pernambuco

Alerta no Hemocentro de Pernambuco (Hemope). A unidade está operando no vermelho, nas últimas semanas, com apenas 10% da sua capacidade. O quadro fez com que algumas cirurgias eletivas, em grandes hospitais do Estado, começassem a ser desmarcadas, pois o estoque só dá para atender as emergências. Nas últimas semanas, o Hemope registrou uma queda de 33% no número de coletas e a diretoria do centro pede a ajuda da população para repor o sangue de todos os tipos e fatores.

A aposentada Fernanda de Almeida, 65 anos, já vive o drama das complicações do desabastecimento na unidade. Ela está com um tio de 85 anos internado no Hospital Miguel Arraes para fazer uma cirurgia no fêmur, que corre o risco de não acontecer. “Estava marcada para manhã (hoje), mas a assistente social disse que se não tiver cinco bolsas de sangue, a cirurgia será cancelada, porque o Hemope está sem sangue”, disse. A aposentada informou que só conseguiu entre os parentes três doadores.

A situação da família de Fernanda poderia ser evitada caso o hemocentro tivesse uma regularidade na captação, o que não vem ocorrendo nos últimos meses. Ontem, por exemplo, 186 doadores se apresentaram para doar, número bem inferior ao ideal, que é de 300. A diretora de Hemoterapia do centro, Elizabeth Vilar, comentou que as doações sempre sofrem com a sazonalidade, mas que algumas situações externas colaboram para a evasão dos doadores. “Toda vez que há um fato ou evento diferente no país repercute na doação”, afirmou. Entre esses eventos as grandes e repetidas manifestações de rua que tomaram o centro do Recife colaboraram para isso, uma vez que o hemocentro fica no coração da cidade.

Quem sabe da dificuldade do estoque procurou o Hemope para ajudar, como Stefani Driely, 26. “Vi na internet que a situação estava preocupante e vim doar. É uma questão de necessidade”, afirmou. O auxiliar de produtos, Júlio César, 31, foi outro que atendeu ao pedido de socorro. “Esta é a quarta venho que venho doar. No trabalho, o próprio gerente indica e libera a gente”, contou. Elizabeth Vilar informou que os homens podem doar quatro vezes ao ano e as mulheres três. O hemocentro tem um calendário de coletas externas até sábado. Hoje, a coleta acontece no Imip, na quinta na Faculdade Boa Viagem, na sexta no Colégio Cícero Dias e no sábado na cidade de Chã Grande.