Ceclin
jun 14, 2012 0 Comentário


Em Carpina, Manoel Botafogo afirma que oposição não tem projeto

Folha de Pernambuco

Após oito anos na gestão de Carpina, na Zona da Mata Norte, o prefeito Manoel Botafogo (PSDB) já prepara o sucessor: seu sobrinho Botafogo Júnior (PSDB). O tucano acredita que a sua gestão e a falta de projetos da oposição serão importantes nas eleições municipais e afirma: “Carpina é uma cidade feliz por ter um tucano dirigindo”.

Botafogo avalia bem sua gestão. “As duas peças fundamentais da minha gestão são saúde e educação, e dentro destes quatro mandatos (dois em Lagoa do Carro e dois em Carpina), nunca tive uma conta rejeitada e não estou enquadrado na Lei da Ficha Limpa. Minha gestão (em Carpina) tem 80% de aprovação”, ressaltou.

Segundo Botafogo, a oposição na cidade não tem trabalhado por Carpina, mas contra o gestor. “Em Carpina, se trabalhava com quatro ou cinco candidatos. Agora a força política (a oposição) juntou-se tudinho com apenas um objetivo: não de fazer um projeto pela cidade, mas sim de derrubar o prefeito. O que eu acho isso uma falta de personalidade, pois ninguém mostrou um projeto”, criticou, para depois desafiar: “juntou-se tudinho contra minha pessoa, agora devem ir contra o Botafogo Júnior. Gente lá tem muita, vamos ver se têm muitos votos”.

Quanto às alianças em torno do seu candidato, o prefeito mostra-se confiante. “Temos uma coligação de dez partidos – PSDB, PPS, PTB, PSL, PTdoB, PP, PMN, entre outros -, que vamos reunir e sair com quatro frentes para entrar na disputa. Afinal, o candidato é bom, ficha limpa e bem aceito dentro da população”, avaliou. “Meu candidato vai disputar a eleição agora contra o candidato (Carlinhos do Moinho) do partido do governador (PSB), mas eu acho que ninguém escolhe o partido e sim o homem do partido, no caso Carlinhos. Acredito que o governador não virá em Carpina, pois os dois são aliados, tanto o candidato dele quanto eu. E outra: não é o Governo que vai decidir a eleição, mas sim o povo de Carpina, que vai escolher quem fez mais pela cidade deles”, ponderou.