Ceclin
abr 05, 2008 4 Comentários


Elias Lira e Alexandre Ferrer aderem ao Cara Nova

TODOS CONTRA UM: está a caminho a maior união política da cidade.
O Movimento Vitória de Cara Nova sob a batuta de 10 partidos políticos, mais os três partidos ligados ao grupo do Dep. Henrique Queiroz, numa grande articulação política para unir vinte partidos de oposição ao atual governo, os quais buscam construir uma candidatura única a Prefeitura Municipal da Vitória, realizaram na sexta-feira (04) a maior reunião de lideranças políticas da história da nossa cidade.
Aderiram oficialmente a este Movimento pluri-partidário o grupo do Dep. estadual Elias Lira (DEM) e o grupo PITU, ligados ao presidente do PMDB local, o empresário Alexandre Ferrer. Em sua segunda visita ao Cara Nova, o democrata Elias Lira afirmou diante de todas as forças políticas presentes que não é candidato a prefeito e que está disposto a apoiar uma candidatura única que possa unir toda a oposição. Por sua vez deixou claro sua preferência em que seja lançado o nome de Paulo Roberto (PSDB) numa chapa majoritária, se assim o grupo decidir.
Convidado pelas lideranças do Cara Nova esteve presente também nesta reunião as principais lideranças do PMDB vitoriense, o Alexandre Ferrer e o Vereador Mano Holanda (PMDB). Durante a discussão que busca unir todos estes partidos em uma só candidatura a Prefeito, foi sugestionado por alguns líderes o nome de Alexandre Ferrer para disputar a prefeitura. Contudo, Alexandre da PITU deixou claro que não aceita essa postulação.
Em busca pelo consenso este grande grupo decidiu montar uma coordenação para tratar sobre as medidas de escolha do candidato e foi escolhido Alexandre Ferrer para ser o coordenador deste intento.
Diante da aprovação desta proposta, o PCdoB propôs para que adicionasse a esta, a composição de um colégio de líderes partidários, para que já na próxima semana fossem definidos critérios gerais a fim de facilitar a escolha do nome que possa unir a todos. Pela proposta do PCdoB seriam agregados diversos elementos que ajudariam a abalizar uma chapa única que possa construir um governo participativo e que permita trazer novas perspectivas para o desenvolvimento da Vitória de Sto. Antão. A proposta foi aceita por todos.
Portanto, pela decisão desta reunião foi marcada outra, para acelerar o processo de escolha, bem como organizar o segundo ciclo de debates do Fórum de Reconstrução da Vitória.
Reportagem: Orlando Leite.