• Ceclin
out 14, 2010 13 Comentários


Eleição Câmara: Golpe no Poder que deveria ser do povo

José Aglaílson colocou todo mundo no bolso! Fez barba, cabelo e bigode na Mesa da Câmara.
Mais uma eleição que entrará na história política do Município da Vitória de Santo Antão. Dessa vez de forma vergonhosa. Jogo de cartas marcadas, interesses escusos, lobby’s, maciotas jurídicas, traições, fraqueza política em constraste com a força dos que fazem a polarização na cidade. Não poderia começar de forma diferente, mas foi tudo isso e muito mais que presenciamos na Eleição da Mesa Diretora da Câmara de Vereadores da Vitória de Santo Antão. O Poder Legislativo que deveria está a serviço do povo vitoriense provou-se na Sessão desta quinta-feira (14) que está na verdade a serviço de interesses particulares.
Em uma manobra jurídica, o vereador licenciado José Aglaílson (PSB), que até então servia como Assessor Especial no Palácio do Campo das Princesas, voltou à sua vaga na Câmara da Vitória na manhã desta quinta e foi para a disputa com o candidato da situação, Pedro Queiroz (PPS).
Por 6 votos a 4, Aglaílson ganhou a Presidência da Casa, que teve uma abstenção por parte de Novo da Banca, totalizando os 11 parlamentares presentes. Em sua fala Aglaílson fez um apelo a Novo: “Você sempre diz que eu sou seu pai, agora prove votando em mim para presidente”, ironizou Aglaílson para Novo que já havia fechado um compromisso com o Prefeito Elias Lira.
Na vaga de Aglaílson estava Manoel do Oiteiro (PSB) que assistiu a tudo da galeria. Os apelos do ex-vereador Bau Nogueira em favor do filho André de Bau (PMN), junto ao ex-prefeito José Aglaílson não foram suficientes para trazer a bancada do PSB para referendar André na presidência. Aglaílson decidiu disputar e puxou o apoio de André consigo, arrastando também, pasmem!!, o atual presidente Mano Holanda (PMDB), que acabou votando e consagrando José Aglaílson presidente para os próximos dois anos.
Com Pedro Queiroz derrotado, já que ele e Aglaílson eram os únicos inscritos para a disputa da presidência, começou desde cedo com um carro de som chamando os populares para assistir a Eleição da Mesa. “Venham saber a corja que foi formada na Câmara. Aqui tem uma caixa preta que rola muito dinheiro. Venha conhecer também o mais novo traidor da história política da cidade, Mano Holanda, que até ontem dizia ser  o arauto da moralidade”, gritou Pedro aos quatro ventos defronte à Câmara.
O Prefeito Elias Lira tentou costurar André e Pedro como opções para a disputa devido a desistência de Mano para concorrer. A bancada do prefeito até tentou, mas não teve votos suficientes para emplacar por mais dois anos o controle da Casa. 
A partir de agora com esta derrota na Câmara, Elias Lira terá que ter muita habilidade política para governar nestes dois próximos anos. Deve andar na linha para não criar a ingovernabilidade, se tiver interesse.  
Para Pedro Queiroz prevendo sua derrota alertou: “Elias Lira é um homem bom, religioso, honesto, mas é fraco! Espero que ele tome providências quanto aos traidores”.
Votaram com José Aglaílson os seguintes vereadores: Mano Holanda (PMDB), André de Bau (PMN), Sylvio Gouveia, Geraldo Enfermeiro e Dr. Saulo, estes últimos do PSB. 
Com Pedro ficaram os parlamentares: Frazão (PR), Everaldo Arruda (PSDB), Irmão Duda (PSDC).

Nova Composição da Mesa Diretora:
Presidente: José Aglaílson
Vice Presidente: Dr. Saulo
Secretário: Sylvio Gouveia
2º Secretário: André de Bau.
MAIS DETALHES LOGO MAIS….



por Lissandro Nascimento.