Ceclin
out 26, 2011 0 Comentário


Educação Especial alcança bons resultados em Vitória de Santo Antão

O município da Vitória de Santo Antão tem se destacado quanto à atenção as pessoas especiais na rede escolar municipal e foi exatamente por isso que levamos ao estúdio da Rádio Tabocas FM (98,5), no Programa Mesa Redonda do A Voz da Vitória, a Coordenadora do Departamento de Educação Especial da Vitória de Santo Antão, Adelma José da Silva. Ela explicou como funciona a educação especial e de como acontece na prática, a mesma frisou que fazer Educação Especial é conviver com as diferenças, respeitá-las e incluí-las de forma democrática, onde na prática ela acontece de modo lúdico com todas as formas de deficiências, seja ela visual, física, mental ou auditiva.

A atual Lei de Diretrizes e Bases para a Educação Nacional, Lei nº 9.394, de 20/12/1996, trata, especificamente, no Capítulo V, da Educação Especial. Define-a por modalidade de educação escolar, oferecida preferencialmente na rede regular de ensino, para pessoas com necessidades educacionais especiais. Assim, ela perpassa todos os níveis de ensino, desde a Educação Infantil ao Ensino Superior.

A Coordenadora ainda pontuou que há uma grande demanda em torno do ensino fundamental, mas que atualmente isso tem mudado e o público tem crescido muito em sala de aula. “De 112 que tínhamos anteriormente hoje já temos 527 alunos especiais frequentando a escola diariamente, tendo a sua disposição hoje quatro ônibus destinados exclusivamente a estes alunos especiais”, destacou.

Contamos também com aqueles que lidam diretamente com o público alvo da educação especial. Nesse debate a Professora Maria Teixeira da Silva que é especializada nesta área, salientou que houve grandes avanços neste setor em Vitória. “Para mim tem sido uma experiência significativa. A aproximação com a família é inevitável para esta ação dá certo. É válido presenciar os demais alunos da escola conviverem com estes e buscando cada vez mais respeitar as diferenças”, salientou. A proposta para Educação Inclusiva é a finalidade de garantir a qualidade e acesso, permanência e progresso de todos os alunos, respeitando as suas diferenças e individualidade humana, assegurando oportunidades de participação educacional e social para todos, transformando toda a escola e sociedade para uma verdadeira e significativa inclusão; pois salientaram que não basta apenas transformar a escola, mas sim todo o sujeito que nela se faz parte.

Para a Profa. Amanda Severina de Souza que trabalha com os recursos da linguagem em libras, afirma que os especiais com deficiência auditiva ao usar libras, percebe-se que a grande dificuldade por parte de seus alunos de se mostrarem para a sociedade o quão inteligentes eles são, é justamente a ausência de comunicação com o restante do mundo. “Isso tem sido superado na medida em que vemos cada vez mais professores especializados preparados para recebê-los, além de ser gratificante saber que eles irão poder viver dignamente sem maiores dificuldades, tendo tido o apoio e exemplos necessários na sua infância”, comparou.

Especialista em educação especial para deficientes visuais, o Professor Ricardo Vieira de Santana conta que sua experiência também tem sido gratificante. “Apesar das dificuldades no exercício da atividade, todas foram superadas, pois o meu processo de aceitação foi ótimo. Eles aprendem conosco e nós aprendemos com eles”, confidenciou.

Para a Supervisora Lucivânia Maria da Conceição, do Departamento de Educação Especial na área mental, afirmou que este trabalho é não só gratificante para a equipe, bem como um marco para o município. “É fato que a cada dia este trabalho é visto com mais credibilidade por parte das mães e assim continuamos nessa luta de fazer com que a sociedade veja estes alunos como capazes. Eles precisam ser respeitados e incluídos, pois são tão capazes quando os tidos como ‘normais’”, reforçou.

Enriquecendo o debate, a supervisora da Educação Especial Natália Cristina Gomes dos Santos explicou a importância do uso dos quatro ônibus usados hoje. “Estes ônibus trafegam por todas as partes da cidade, inclusive no setor rural. Chegam até as casas desses alunos para os buscarem e depois ao final das aulas eles retornam entregando-os a seus responsáveis, novamente em sua residência com o apoio dos monitores que os acompanham, há todo um cuidado com a segurança, desde a atitude do uso do cinto até a prestação e o apoio para primeiros socorros se for necessário”, completou.

Tendo um desenvolvimento de um trabalho contínuo, com um olhar diferenciado para os profissionais da educação, oferecendo formação continuada, há também cursos de libras e tiflologia para aprimorar sua prática pedagógica cada vez mais. Somando ao fato de proporcionar para esses estudantes seja ele da área intelectual, física, visual, auditiva e de múltiplas deficiências uma vida de maior convívio com seus colegas dentro da escola, família e comunidade.

Apresentação: Lissandro Nascimento.

Produção: Jáder Siqueira, Josimar Cavalcanti, Márcio Souza.