Ceclin
abr 05, 2021 0 Comentário


Ditadura e tortura nunca mais!

Há 57 anos, o Brasil viu nascer um dos períodos mais sombrios e violentos da sua história. Durante 21 anos, a repressão militar vigorou no Brasil, os direitos mais fundamentais ao ser humano foram violados, como o direito à liberdade, à expressão de pensamento e à informação.

Foram anos de perseguições a partidos, a políticos, a empresários e até mesmo a militares que não concordavam com o regime. Sem falar de diversos meios de comunicação, padres progressistas e qualquer entidade ou indivíduo que levantasse a voz contra o sistema político, econômico e social imposto pelos golpistas.

O movimento sindical foi um dos mais perseguidos. Diversos sindicatos se transformaram em associações de trabalhadores para práticas de lazer. Muitos outros fecharam suas portas. A greve foi proibida e a luta sindical por melhoria das condições de trabalho e renda foi abafada. Os servidores públicos não podiam constituir sindicatos. Os trabalhadores brasileiros tinham que acatar todas as decisões dos patrões. O arrocho salarial foi um dos mais pesados da nossa história e quem se insurgia contra a situação desaparecia.

Depois de anos, descobrimos que muitas lideranças dos trabalhadores foram mortas nos porões da ditadura.

UM NOVO GOLPE?

Hoje, assistimos ao surgimento de uma nova perseguição ao movimento sindical organizado e uma grande ameaça à democracia brasileira por parte do presidente eleito Jair Bolsonaro. Desde que assumiu o poder, devido a sua incapacidade de governar o País, Bolsonaro se cercou de militares e ameaça a democracia com um novo golpe todas as vezes que a sua permanência no poder se torna insustentável diante de tantas irregularidades praticadas.

Semana passada, vimos várias movimentações no governo. Mas a mudança de cartas não significa afastamento dos militares do governo ou uma forma de dar um basta ao golpismo de Bolsonaro. A classe trabalhadora brasileira precisa estar atenta aos movimentos do presidente para enfrentar todas as suas manobras contra a democracia brasileira. O Sindsep-PE reafirma: ditadura e tortura nunca mais!

Sindicato dos Servidores Públicos Federais de Pernambuco – SINDSEP-PE.