Ceclin
mar 29, 2011 0 Comentário


Disputa entre DER e Prefeitura de Gravatá deixa luzes da BR 232 apagadas

ESCURIDÃO NA BR: DER acusa ex-prefeito Joaquim Neto de ter se negado a manter os termos de manutenção



As luzes da BR-232 vão continuar apagadas


Dificilmente as luminárias da BR-232, que estão apagadas há mais de um ano e três meses, voltarão a acender antes do feriadão da Semana Santa.

Existe um impasse muito grande entre a Prefeitura de Gravatá e o DER (órgão do Governo do Estado que deveria dar manutenção a infra estrutura da rodovia federal). Este Blog entende que a “novela” está apenas começando e a população é que vai sair prejudicada.

Este BLOG tem insistido junto ao pessoal da Secretaria de Transportes e o DER para tentar ajudar a resolver o problema. Estão apagadas cerca de 1km de iluminação pública dos dois lados da BR-232 e das vias locais no trecho entre o Hotel Portal de Gravatá e a entrada da Rua do Norte. Estão apagadas também as luzes das proximidades do Manibu (a entrada da via local está totalmente apagada oferecendo muito perigo aos motoristas) e do outro lado, do Posto Petur.

O PROBLEMA

O pessoal da Secretaria de Transportes/DER acusa a Prefeitura de Gravatá de ter se negado a assinar com o Governo do Estado um Termo de Manutenção da Iluminação Pública dos Espaços Urbanos cortados pela BR-232 duplicada. A negativa, segundo diretores do DER, teria partido do ex-prefeito Joaquim Neto, que se eximiu de assinar tal documento.

O DER afirma ainda que Gravatá é a única cidade cortada pela BR-232 que enfrenta este problema. Todas as prefeituras – de Jaboatão a São Caetano – pagam suas contas de energia elétrica e da manutenção das luminárias.

Até então, segundo o pessoal do DER, aquele órgão vinha pagando as contas de energia elétrica do trecho de Gravatá até que foi impedido de fazê-lo pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE). E por esse motivo as luzes vão continuar apagadas.

Nem o DER vai pagar a manutenção e troca de luminárias e nem a Prefeitura de Gravatá se acha no direito de pagar a conta.

Enquanto isso, a população fica prejudicada, na escuridão, e o “tarado da bicicleta” que atua livremente na área assediando suas vítimas, vai continuar imperando na escuridão da BR.