Ceclin
jul 26, 2017 0 Comentário


Desestatização da Copergás é avaliada

A Companhia Pernambucana de Gás prevê investimentos de R$ 300 milhões até 2020 Foto: Maurício Ferry/Arquivo Folha

A Companhia Pernambucana de Gás prevê investimentos de R$ 300 milhões até 2020. Foto: Maurício Ferry/Arquivo Folha

BNDES publica edital de licitação para escolha da consultoria que definirá modelo de privatização da estatal de gás

Folha PE

No bojo das intenções para privatizar a Companhia Pernambucana de Gás (Copergás), o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) publicou as primeiras licitações para contratação de consultorias com o objetivo de estudar uma melhor solução para a empresa. É que, recentemente, o vice-governador de Pernambuco, Raul Henry, assinou um acordo de cooperação técnica com o BNDES e sinalizou que a análise sobre a viabilidade de alienação das ações pertencentes ao Estado deve ser concluída no segundo semestre deste ano. A empresa vencedora será conhecida no dia 10 de agosto.

Os editais fazem parte do apoio do banco ao Programa de Parcerias de Investimentos (PPI) do Governo Federal e as licitações envolvem serviços de avaliação econômico-financeira, estudos técnicos relativos ao modelo regulatório do setor e modelagem do processo de desestatização, que envolvem mais de R$ 30 milhões. Até o momento, sete Estados manifestaram ao BNDES interesse em privatizar suas empresas de gás natural: Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Mato Grosso do Sul, Espírito Santo, Pernambuco, Rio Grande do Norte e Paraíba. As licitações ocorrerão nos dias 10 e 11 de agosto.

De acordo com o advogado e professor de direito constitucional, André Mussalém, essa etapa compreende uma fase bem inicial, mas indicativa para o mercado. “Já existe uma intenção oficial. O que eles avaliam agora é como passar para o setor privado sem comprometer a distribuição desse gás, que, hoje, é de responsabilidade do Estado”, analisou. Procurado, o Governo do Estado informou que não iria se manifestar sobre a licitação.

Na época das primeiras tratativas, Henry chegou a dizer que esta é uma forma de manter a Copergás fazendo os investimentos necessários para ampliar a rede de gás em Pernambuco. A Copergás atua na distribuição do gás natural (GN). A previsão de investimentos da companhia é de R$ 300 milhões até 2020. No ano passado, o segmento de gás canalizado para uso residencial apresentou crescimento de 24,52%, no comparativo com 2015. A companhia prevê que, nos próximos anos, este segmento vai mobilizar R$ 30 milhões em Pernambuco. A Copergás não comentou.

Por enquanto, não há negociações com empresas interessadas na companhia, mas os outros sócios do negócio, a Mitsui (24,5%) e Gaspetro (24,5%), já foram comunicados sobre a elaboração do estudo de desestatização.