Ceclin
mar 21, 2018 0 Comentário


Deputado Waldemar Borges reforça críticas à gestão municipal de Gravatá

RELATO – Segundo parlamentar, a cidade é “vítima do descaso, com ruas esburacadas e cobertas pelo mato, e equipamentos públicos abandonados.” Foto: Jarbas Araújo

RELATO – Segundo parlamentar, a cidade é “vítima do descaso, com ruas esburacadas e cobertas pelo mato, e equipamentos públicos abandonados”. Foto: Jarbas Araújo

O deputado Waldemar Borges (PSB) reiterou em Reunião Plenária, na tarde dessa terça-feira (20/03), as críticas feitas por ele, na última quinta (15), à atual gestão da Prefeitura de Gravatá, no Agreste Central. O socialista disse ter sido “econômico” em comentários anteriores, no discurso em que saudou o aniversário de 125 anos de emancipação política do município (Reveja AQUI). De acordo com o parlamentar, a cidade é atualmente “vítima do descaso, com ruas esburacadas e cobertas pelo mato, e equipamentos públicos abandonados”.

“Não citei o lamentável fato de que o prefeito (Joaquim Neto, do PSDB), no mês de aniversário da cidade, deu de ‘presente’ ao povo um aumento absurdo na taxa de iluminação pública. E que Gravatá voltou às páginas policiais, com inquérito aberto pelo Ministério Público Federal, que encontrou indícios de falcatruas em licitações da prefeitura”, acrescentou.

O deputado rebateu expressões usadas em pronunciamento parlamentar nessa segunda (19) – em defesa da gestão de Joaquim Neto -, de que ele (Borges) “não desceu do palanque”, referindo-se à sua candidatura a prefeito em 2016. Saiba AQUI

“O prefeito, arrogante, bravateiro, talvez não esteja habituado ao jogo democrático. Aqueles que não estão acostumados a ouvir críticas vão ter que se acostumar. E se agredirem, tem revide”, expressou.