• Ceclin
mar 14, 2018 0 Comentário


Deputado Jadeval de Lima ingressa no PMN e sigla vai para a base do governo Paulo Câmara

Jadeval de Lima foi o responsável por levar o partido para a base do governo e reatar a aliança. Foto: Divulgaçao

Jadeval de Lima foi o responsável por levar o partido para a base do governo e reatar a aliança com o PSB. Foto: Divulgação

O deputado estadual Jadeval de Lima deixou o PDT e filiou-se ao PMN na presença de lideranças políticas pernambucanas. O parlamentar também conseguiu levar o partido para a base do Governo do Estado.

Na manhã de ontem (13/03), o Deputado Jadeval de Lima filiou-se ao Partido da Mobilização Nacional (PMN). No ato de filiação o parlamentar contou com a presença de lideranças políticas, do presidente nacional e estadual do PMN e do representante do governo, o secretário da Casa Civil Nilton Mota.

Antes de filiar-se ao PMN, o deputado esteve com o Governador Paulo Câmara (PSB), na última segunda-feira, para informa-lo da mudança de partido e oficializar o apoio ao Governo. Jadeval, foi junto com o presidente nacional do PMN– Carlos Massarollo e o presidente estadual – Ivanildo Pedro. Mais uma aliança importante para o Governador, já que o PMN não caminhava com o PSB em Pernambuco desde o ano de 2006. Jadeval de Lima foi o responsável por levar o partido para a base do governo e reatar a aliança.

Agradecendo o apoio, o secretário da Casa Civil, Nilton Mota, esteve presente na filiação de Jadeval demonstrando satisfação de ter o PMN caminhando junto com o PSB no pleito eleitoral de 2018. O PMN tem 02 prefeitos e 34 vereadores de 26 cidades.

VEREADORES EM ESCADA

Na manhã da segunda-feira (12/03), foi deliberada pela direção estadual do PMN, a expulsão dos vereadores Roberto Barreto do Nascimento (Roberto do Pichá) e José Marcos da Silva (Marcos Santiago), por insubordinação ao partido no momento em que os vereadores não se posicionarem na bancada de oposição na votação da presidência da Câmara de Vereadores de Escada, na Mata Sul do Estado.

A ordem do partido era que os vereadores ficassem na oposição a atual presidência da Casa, seguindo seu voto ao candidato Eduardo do Arretado, do partido Progressista. Ao que indica, os vereadores se renderam ao atual presidente da Câmara, o vereador Elias Ribeiro, do Solidariedade, que por duas vezes adiou a votação, que ele mesmo antecipou do mês de junho para a última semana de fevereiro deste ano, conforme alteração no Regimento Interno, proposta pelo vereador do Solidariedade.
A direção municipal do PMN enviou a Câmara de Vereadores o comunicado pela expulsão dos dois parlamentares.