Ceclin
maio 21, 2008 2 Comentários


Deputado comunista quer fixar data do carnaval

Uma proposta polêmica que promete mexer com a vida de muita gente. Especialmente as milhares de pessoas que tem suas atividades profissionais diretamente voltadas para a produção de uma das festas populares mais importantes do Brasil, o carnaval. Através de um Projeto de Lei 3418/08, apresentado na última quinta-feira (15), na Câmara dos Deputados, o deputado Daniel Almeida (PCdoB-BA) propõe a fixação da data do carnaval na última terça-feira de fevereiro.

Em sua origem histórica, o carnaval foi associado ao calendário religioso só à partir de 1582, pelo papa Gregório 13, através do Concílio de Tentro, em 1545. Tal Concílio considerou a festa como uma manifestação popular que não deveria ser hostilizada pelo clero. A partir daí, o início da festa passou a ser contado 40 dias anteriores à páscoa, estabelecido pelo calendário lunar, coincidindo, assim com o início da quaresma, na quarta-feira de cinzas.
Dessa forma, as festividades carnavalescas são realizadas, cada ano em uma data diferente. Essa temporalidade provoca inúmeros transtornos, entre os quais a alteração de férias escolares e, principalmente a desordem nas atividades produtivas.
O projeto de Daniel Almeida surgiu da observação de alguns empresários do setor, gestores públicos, dirigentes de blocos e representantes do setor turístico. Eles avaliam como negativos os resultados econômicos da festa quando ela é antecipada para o início do mês. Caso deste ano, quando o carnaval foi comemorado em 2 de fevereiro.

Benefícios

A inexistência de uma data fixa para o carnaval, segundo o deputado, implica em vários problemas para alguns setores da economia. “Com a mobilidade da data, o mercado de entretenimento é sempre o mais prejudicado. Este ano, por exemplo, tivemos um verão extremamente reduzido – o que ocasionou na redução da temporada de turismo, com efeitos diretos no mercado de trabalho temporário”, salientou Almeida.
Outra observação feita pelo parlamentar, ao justificar a proposta, é o desajuste dos calendários escolares. “Muitas escolas programam o fim das férias, após a festa, para evitar que os alunos sejam prejudicados em virtude das viagens familiares. Essa atemporalidade também dificulta um plano mais definido do ano letivo”, afirma.
Segundo Daniel Almeida, “a possibilidade de agendamento de uma data fixa para o carnaval beneficiaria, acima de tudo, a possibilidade de um planejamento mais qualificado, facilitando a programação antecipada de inúmeras atividades, especialmente as que envolvem o turismo, a cultura, o comércio e a educação”.
O projeto já foi apresentado à Secretaria Geral da Mesa. Em seguida vai para o Departamento de Comissões, onde será definida a tramitação. O PL pode passar por três comissões ou mais. Depois de ser votado nas comissões e receber parecer conclusivo, segue direto para o Senado. (Portal Vermelho).