Ceclin
fev 05, 2020 0 Comentário


Deputado Clovis Paiva condena apreensão de motos no Interior pernambucano

MULTA – Para ele, as ações do BPTran e do Detran-PE são “abusivas e exploram o povo pobre do Interior”. Foto: Roberto Soares/Alepe

MULTA – Para ele, as ações do BPTran e do Detran-PE são “abusivas e exploram o povo pobre do Interior”. Foto: Roberto Soares/Alepe

A fiscalização e apreensão de motos no município de Ribeirão (Mata Sul) e em outras cidades do Interior do Estado foram criticadas pelo deputado Clovis Paiva (PP), no Grande Expediente da terça (04/02). Para ele, as ações do Batalhão de Policiamento de Trânsito (BPTran) e do Departamento Estadual de Trânsito de Pernambuco (Detran-PE) são “abusivas e exploram o povo pobre”.

“Na minha cidade, eles recolhiam as motos de todo mundo que passava por lá. Quero me solidarizar com a população, que foi assaltada pela indústria da multa que está sendo feita pelo BPTran e pelo Detran”, declarou o parlamentar na tribuna. “Precisamos fazer uma comissão de deputados para ir à chefia dessas instituições pedir que não haja uma fiscalização abusiva, que paralisa a economia dos pequenos municípios e prejudica mototaxistas e pessoas humildes da zona rural”, propôs. “Essa situação atinge diretamente a imagem do governador Paulo Câmara”, avaliou o progressista.

O discurso de Paiva recebeu o apoio dos deputados Antônio Moraes (PP), Doriel Barros (PT) e Antonio Fernando (PSC). Para eles, a Polícia Militar tem que cumprir o papel de fiscalizar com mais equilíbrio, evitando abusos. “O BPTran está indo até a estradas vicinais e canaviais para apreender motos, o que eles não poderiam fazer. É preciso haver mais cuidado na maneira de abordar, pois as pessoas que têm motos apreendidas não são marginais”, considerou Moraes, que também sugeriu que o Governo parcele em até dez vezes o pagamento do IPVA para motocicletas, a fim de facilitar a regularização.

Já o deputado João Paulo (PCdoB) avaliou que o discurso é uma “advertência ao Governo Estadual”. “O resultado dessas apreensões são centenas de veículos que não podem ser recuperados, pois as taxas, muitas vezes, têm valor maior do que as próprias motos. É um grande prejuízo para o Estado”, considerou o parlamentar.