Ceclin
set 14, 2017 0 Comentário


Deputado chama Fernando Filho de ingrato por criticar a Chesf

Frente Chesf Brasília

O deputado federal Danilo Cabral (PSB) afirmou que o ministro das Minas e Energia, Fernando Bezerra Filho, comete um ato de ingratidão com o povo brasileiro, em especial do Nordeste, ao dizer que a Chesf não investiu no Rio São Francisco. O discurso foi realizado no Plenário da Câmara após o lançamento da campanha “Diga não à Privatização do Rio São Francisco”, promovida pela Frente Parlamentar em Defesa da Chesf, na tarde desta quarta-feira (13).

“Ao afirmar que houve falta de investimento da Chesf no São Francisco, o ministro mostra, mais uma vez, seu desconhecimento sobre a importância do Rio São Francisco para todo o Brasil”, disse Danilo Cabral, que é presidente da Frente. Segundo o deputado, se não fosse o investimento da Chesf, um milhão de árvores não teriam sido plantadas nas margens do rio, R$ 3 bilhões não teriam sido ressarcidos aos municípios que tiveram ação da Companhia, 700 mil pessoas não teriam sido atendidas no hospital construído em Paulo Afonso.

“Se não fosse a Chesf, não existiria Sobradinho nem o polo de fruticultura irrigada, orgulho do povo de Petrolina, terra do ministro, existiria. Foi uma fala que representou um ato de ingratidão com o povo brasileiro, justamente ele que é de uma cidade que deve muito ao Rio São Francisco, à própria Chesf”, criticou Danilo Cabral.

No discurso, o parlamentar destacou também as ações da Frente para os próximos dias. “Amanhã, estaremos em Petrolina, na sexta-feira (15), em Alagoas, onde haverá uma reunião dos governadores do Nordeste e, na segunda-feira (18), no Ceará para uma audiência pública. Essa conversa está começando a chegar ao ouvido do povo e vai ser a força do povo que vai fazer esse governo voltar atrás, respeitar o Brasil e não entregar a condução da política de energia ao setor privado”, finalizou.

CHESF – O parlamentar destacou a especificidade da Chesf no contexto da privatização da Eletrobrás, por acreditar que isso representa um ataque ao patrimônio do povo brasileiro, que é o Rio São Francisco. “Para nós, nordestinos, a privatização é uma consequência muito perversa, muito danosa. É o sucateamento da nossa Companhia Hidro Elétrica do São Francisco. O que está em jogo na privatização da Eletrobrás é a venda do Rio São Francisco. Nós estamos entregando a chave da caixa d’água do Nordeste para que o setor privado tome conta”, criticou Danilo, acrescentando que privatizar a Chesf também significa o sucateamento de uma política de desenvolvimento regional de 70 anos de história da empresa estatal.

A campanha “Diga Não à privatização do Rio São Francisco” é uma iniciativa da Frente Parlamentar em Defesa da Chesf, que foi constituída com largo apoio de mais de 200 parlamentares, das mais diferentes correntes políticas. No evento de hoje, foram distribuídos material de divulgação e centenas de adesivos com frases contrárias à privatização, tais como “a força do Nordeste não se vende”, “a Chesf é nossa”, “a Chesf é do Brasil”, “o rio São Francisco não está à venda”, “se mexer com o Rio São Francisco, eu viro carranca”.