Ceclin
jan 04, 2011 0 Comentário


Definidos os três candidatos mais votados na eleição do Ministério Público do Estado

O nome dos três promotores que vão formar a lista tríplice para a escolha do novo procurador-geral de Justiça de Pernambuco saiu às 20h40 desta segunda-feira (03). Os mais votados foram respectivamente: Aguinaldo Fenelon, Waldemir Tavares e Clóvis Sodré.
Os nomes seguem para a escolha do governador Eduardo Campos, que decidirá quem será o novo chefe do Ministério Público de Pernambuco (MPPE).

Todos os três primeiros colocados são promotores. Aguinaldo Fenelon foi o mais votado, com 174 votos (17%). Em segundo lugar, foi escolhido Waldemir Tavares, que recebeu 151 votos (14%). O terceiro lugar ficou para Clóvis Sodré, com 129 votos (12%).

A votação ocorreu, nesta segunda-feira (03), no Centro Cultural Rossini Alves Couto, no bairro de Santo Amaro, no Recife. A segurança foi reforçada e a movimentação intensa das 9h até às 17h.

O Ministério Público de Pernambuco é formado por 350 promotores e 38 procuradores. Todos são obrigados a votar. Este ano, pela primeira vez, os promotores também puderam se candidatar. Na cédula eleitoral, estavam 123 nomes.

O mandato é de dois anos, com possibilidade de reeleição. O atual procurador-geral de Justiça, Paulo Varejão, ficou no cargo por quatro anos. Ele explicou o que faz e qual a importância do chefe do Ministério Público Estadual.

“O procurador geral de Justiça é um membro do Ministério Público como outro qualquer, mas ele tem atribuições definidas constitucionalmente e na lei e trabalha junto à segunda instância, ou seja, junto ao Tribunal de Justiça. Ele tem a representação administrativa e judicial da instituição e também trabalha junto ao tribunal nas atribuições que são prescritas pela Constituição”, afirmou Varejão.

Eduardo Campos deverá decidir o novo chefe do MPPE nesta terça (4), pois retornará à capital pernambucana no final desta segunda (3), após viajar para Brasília para conferir a posse de Fernando Bezerra Coelho.
(Pe360graus)