Ceclin
set 27, 2013 0 Comentário


Defesa Civil e geólogo vão analisar suposto meteorito em Vicência na Mata Norte

(Fotos: Borracha Info/Divulgação)

Com informações do Diário PE

A Coordenadoria de Defesa Civil do Município de Vicência, na Mata Norte de Pernambuco, visita nesta sexta-feira o local onde um suposto meteorito teria caído no início desta semana. O prefeito do município, Paulo Tadeu, também deve enviar ainda hoje um geólogo para analisar o material.

Passados quatro dias do fenômeno, a casa de um marceneiro conhecido como Adeildo abriga agora a pedra famosa. Ele diz ter testemunhado o momento da queda: “Eu estava trabalhando quando ouvi o estrondo. Fiquei com medo. Procurei para ver se achava quem tinha jogado, mas não tinha ninguém. Foi um barulho muito grande. Só pode ter caído do céu. Ainda estava quente”, conta, sem aparentar receio de armazenar o material desconhecido.

O fato é que a “pedra queimada”, como está sendo chamada, de 1,2 quilo foi parar a cerca de 600 metros do Sítio Sossego de Paz, de propriedade de José Cavalcanti Mota Lucena, o Zito Lucena, acabando, de uma só vez, com o sossego e paz do lugar.”Pode haver uma contaminação! Ela pode ter Césio. A gente não sabe se essa pedra tem material radioativo. Queremos que a Vigilância Sanitária venha aqui recolher a pedra, que precisa ser examinada”, implora o agricultor, nervoso. Muitos curiosos já foram ao local para ver os sinais da queda do meteoro, movimentando o pequeno Povoado de Borracha.

O fenômeno pode ter relação com a chuva de meteoros, conhecida como Oriônidas, no espaço, que está sendo registrada da quarta-feira passada (25) até o dia 25 de novembro. Isso acontece quando o planeta Terra cruza a órbita do Cometa Halley, tido como origem do fragmento rochoso. A chuva registra uma taxa típica de 20 a 25 meteoros por hora – o que pode ser visto em uma noite escura e de céu limpo.