Ceclin
fev 22, 2021 0 Comentário


Daniel Alves tem outra conta rejeitada pela Câmara de Chã Grande

Com informações do Chã Grande News

A Câmara de Vereadores de Chã Grande rejeitou no dia 17 de fevereiro, por maioria, as contas do exercício 2016 do ex-prefeito Daniel Alves de Lima (PSC). Por 9 votos a 2, o Legislativo decidiu seguir os pareceres prévios do Tribunal de Contas do Estado de Pernambuco (TCE-PE), que encontraram 21 pontos divergentes no último ano de gestão de Daniel.

Na sessão, o ex-prefeito apresentou uma defesa escrita, que foi analisada pelas Comissões da Casa, as quais apresentaram recomendação pela continuidade da rejeição das contas, levando em consideração os pareceres do TCE-PE.

Esta é a segunda prestação de contas do ex-prefeito Daniel Alves rejeitada em menos de um ano. A primeira, de 2015, foi votada em julho do ano passado, sendo rejeitada pelo placar de 8 a 3, também com pareceres recomendando a reprovação. Já as de 2013 e 2014 foram aprovadas pela Câmara, também seguindo o TCE-PE.

Daniel Alves comandou a Prefeitura de Chã Grande em três oportunidades. As duas primeiras gestões ocorreram de 1997 a 2004. Já a última gestão foi entre 2013 e 2016, quando buscou o quarto mandato, porém terminou sendo derrotado nas urnas.

GRAVATÁ

Atualmente, Daniel Alves tem o seu domicílio eleitoral na cidade de Gravatá, no Agreste pernambucano, onde até ensaiou uma disputa pela Prefeitura Municipal. Sem os apoios necessários, acabou desistindo do objetivo. Chegou a inscrever seu nome na corrida pela Câmara Municipal, mas também desistiu. Durante a campanha eleitoral, Daniel passou a apoiar a unidade através do Padre Joselito (PSB), que foi eleito prefeito de Gravatá. Com a posse do Padre, Daniel Alves, assim como o ex-prefeito de Gravatá Ozano Brito, foi alçado ao cargo de assessor estratégico de gestão.