Ceclin
abr 12, 2017 0 Comentário


CUT diz repudiar violência policial e cobra agilidade contra morte de jovem de Itambé

5O5A0087-748x410

Secretaria Estadual de Juventude da Central Única dos Trabalhadores (CUT) de Pernambuco, em nota oficial.

A violência contra manifestantes é uma marca antiga da Polícia Militar de Pernambuco. Todos e todas que ousam se manifestarem por algum motivo no Estado, sabem que correm o risco de serem alvos de uma polícia autoritária e violenta. Mas, no dia 17 de março, essa violência policial contra manifestações chegou a um nível completamente absurdo e intolerável.

Naquele dia, acontecia um protesto na cidade de Itambé, Zona da Mata Norte de Pernambuco. Os moradores protestavam justamente contra a falta de segurança que assola todo o Estado e mais especificamente o município. Foi quando a Polícia Militar interveio com brutal violência no protesto. Em vídeo gravado no local, é possível ouvir um policial dizer: “É esse que vai levar o primeiro tiro?”. Logo em seguida outro policial atira na perna de Edvaldo da Silva Alves, um jovem de 19 anos, que depois é arrastado pelo chão pelos policiais até a viatura. Tendo levado um tiro e estando com a perna ensanguentada, Edvaldo ainda apanha dos policiais, numa clara demonstração de abuso de autoridade e sentimento de impunidade por parte dos policiais.

Na madrugada de hoje (11/04), após quase um mês internado na UTI do Hospital Miguel Arraes, município do Paulista, Edvaldo da Silva Alves, veio a falecer. Sua morte é mais uma a entrar no mapa das estatísticas de vítimas fatais da violência policial em nosso Estado. Uma brutalidade sem limites,

A Central Única dos Trabalhadores (CUT) de Pernambuco vem a público cobrar agilidade e rigorosa apuração desse caso, para que os PMs responsáveis pela morte do jovem sejam o mais rápido possível expulsos da corporação e venham a responder na Justiça pelo homicídio praticado.

A CUT-PE também cobra o afastamento imediato, além dos policiais militares envolvidos diretamente na ação, do comando do policiamento na região. Protestar é um direito de todo cidadão e de toda cidadã. E quem deveria cuidar da segurança da população não pode em hipóteses alguma matar.

Exigimos que o governador Paulo Câmara tome as devidas providências, sem mais demora, para que crimes assim nunca mais ocorram e para que jovens como Edvaldo da Silva Alves, saibam que tem o direito a livre manifestação, sem serem alvos de violência policial e muito menos de homicídio.