Ceclin
maio 08, 2015 0 Comentário


Crescimento traz negócios, empregos e violência para o Cabo e Vitória

Diário de Pernambuco

Vitória se encontra entre os cinco dos cem municípios brasileiros de maior vulnerabilidade juvenil à violência

grafico_de_violencia-300x282O crescimento que trouxe negócios e empregos para o Cabo de Santo Agostinho também trouxe, ao menos conforme o relatório Índice de Vulnerabilidade Juvenil à Violência e Desigualdade Racial 2014, mais violência.

Em 2007, o município ocupava o oitavo lugar no ranking de vulnerabilidade, enquanto o novo documento o aponta no topo da lista das 288 cidades brasileiras de população acima de 100 mil habitantes. Isso confere ao Cabo a marca de “muita alta” vulnerabilidade, também atribuída à Vitória de Santo Antão.

O carimbo a ambas veio em consequência de elementos bastante conhecidos e que o Estado se mostrou incapaz de superá-los, a exemplo das taxas de homicídio, de pobreza, de mortalidade no trânsito e de frequência escolar. Vendo-se a estatística do boom econômico, pode-se vender um cenário social beirando a perfeição, o que no detalhe das ruas e das favelas se desmancha. Os empreendimentos vieram reforçando cofres públicos, mas atraíram, às centenas, pessoas sem qualificação profissional. A mistura, pinçando-se o cenário cabense, explodiu em ocupações irregulares de áreas urbanas, em consumo de drogas e na exploração sexual de adolescentes.

O esforço para enfrentar o quadro exige ação conjunta da sociedade e do Estado em todas as suas esferas. Do contrário, o lugar de ranking das cidades pernambucanas pode até mudar de um ano a outro, mas os jovens continuarão sendo dizimados.

No top 100

Pernambuco possui cinco entre os cem municípios brasileiros de maior vulnerabilidade juvenil à violência, segundo o relatório. A lista, além do Cabo e Vitória, inclui Olinda, Recife e São Lourenço da Mata, sendo os três considerados como lugares de “alta” vulnerabilidade.