• Ceclin
nov 16, 2010 3 Comentários


Cresce o número de homens que optam pela vasectomia

Cada vez mais a contracepção, que até pouco tempo recaía exclusivamente sobre as mulheres, tem sido uma responsabilidade compartilhada pelos homens, pois o comportamento masculino vem mudando nas últimas décadas. A vasectomia é um procedimento cirúrgico de esterilização masculina. O médico retira um fragmento de cada um dos dois canais que são responsáveis por levar os espermatozoides dos testículos ao pênis.


Hoje é comum o homem dividir com a mulher a responsabilidade da contracepção e muitos têm recorrido à vasectomia para evitar filhos. O método contraceptivo vem ganhando adeptos devido à perda do preconceito masculino e à segurança do procedimento.

Recentemente houve uma regulamentação legal para realização de vasectomia em nosso país. Contudo existe uma grande dificuldade da notificação destas cirurgias, o que dificulta uma avaliação estatística segura, porém é possível observar uma maior frequência na sua execução.


O número de procedimentos feitos pelo SUS (Sistema Único de Saúde) cresceu quase 80% em seis anos no Brasil, saltando de 19,1 mil em 2003 para 34,1 mil em 2009. Consultórios particulares também registram aumento da procura.

Médicos avaliam que, quando a cirurgia é realizada por volta dos 30 anos de idade, existe uma chance de 10% de haver o arrependimento, justamente pelo acréscimo do número de divórcios seguidos de novas uniões.


A reversão

Existe um procedimento operatório chamado vasovasostomia, que, como se imagina, é a tentativa de reconstuir o canal deferente. Para um procedimento de custo elevado, apresenta eficácia relativamente baixa, de 50 a 70% de sucesso.

O homem que se submete à vasectomia idealmente deve encará–la como procedimento definitivo, e não pensar que pode ser revertida. Homens mais abastados podem optar pelo congelamento do sêmen antes da vasectomia, e se desejarem ter filhos, usar técnicas de reprodução assistida.

Do Portal UAI (MG)