Ceclin
fev 16, 2011 0 Comentário


CPRH flagra crime ambiental em Gravatá

Oitenta e duas toras de espécies nativas, sendo 80 da mata atlântica e duas de Baraúna, além de 14 feixes de taliscas de dois metros de comprimento, com 20 unidades cada e três máquinas para cerrar madeiras: este foi o resultado da apreensão realizada na última semana pela Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH).

O flagrante ocorreu quando os fiscais da Agência realizavam vistoria em uma serraria na zona urbana de Gravatá, Agreste do Estado. Como consequência foram lavrados autos de apreensão e, além de ter suas atividades suspensas, o estabelecimento pagará multa no valor de R$ 8.200. Outro agravante é o fato da serraria não possuir licença ambiental fornecida pela CPRH e ser reincidente, tendo em vista que, no ano passado, os fiscais também apreenderam 156 toretes de espécies nativas.


Parte do material detido ficou sob a guarda da Prefeitura de Gravatá, que prestou apoio disponibilizando caminhão e pessoal para transportar a madeira. A operação também contou com o trabalho dos policiais da 5ª Companhia Independente de Polícia Militar.


A CPRH vem intensificando cada vez mais as ações de fiscalização florestal, em parceria com outros órgãos ligados ao meio ambiente no Estado. “A fiscalização intensa que a CPTH vem realizando sistematicamente está apresentando resultados positivos. A população tem contribuído muito, indicando com precisão o local onde os crimes estão ocorrendo, o que possibilita a presença dos fiscais para impedir a continuidade do desmatamento em nosso Estado”, afirmou o diretor-presidente da CPRH, Hélio Gurgel.



com informações da Assessoria.