• Ceclin
abr 03, 2018 0 Comentário


CPI que investiga déficit do Fundo de Previdência de Limoeiro é instalada

CPI é promulgada e começa investigação no LIMOPREV

Blog do Agreste

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que vai investigar a origem do déficit de mais de R$ 6 milhões nas contas do Fundo de Previdência dos Servidores Municipais de Limoeiro (LIMOPREV) se reuniu pela primeira vez na tarde desta terça-feira (3/04), na sala de reuniões da Câmara Municipal de Vereadores. O advogado Tadeu Lira e a contadora Paula Valéria também estiveram no encontro. De acordo com o relator da CPI, vereador Marcos Sérgio (PSD), a pauta contou a solicitação de documentos (recolhimentos, extratos e transferências bancários, prestações de contas, cópias de repasses mensais), comunicações para órgãos de controle e fiscalizadores.

“Firmado o compromisso de seriedade e imparcialidade entre todos os membros”, postou o relator em uma rede social. Também integram a Comissão, os vereador José Higino (PP – presidente), Daniel (PTB – vice-presidente), Ronaldo Morais (PTdoB – membro) e Batalha (PSB – membro). “Vamos pedir todos os documentos necessários, também vamos comunicar a PF, MP, OAB e todos os órgãos competentes para nos dar total apoio, para que possamos esclarecer o mais breve possível”, assegurou Ronaldo.

A CPI, sancionada na ultima segunda-feira, vai investigar o histórico financeiro do LIMOPREV desde a fundação (novembro de 2011) até os dias atuais. Com isso, os três prefeitos que passaram pelo fundo previdenciário deverão ser ouvidos: Ricardo Teobaldo (Podemos), Thiago Cavalcanti (PTB) e João Luís (PSB), além de todos os funcionários que estão e passaram pelo quadro de servidores do LIMOPREV. A comissão tem 90 dias para finalizar o relatório, mas o prazo pode ser prorrogado por igual período.