Ceclin
set 24, 2014 0 Comentário


Corpo de Abelardo da Hora é velado no Plenário da Assembleia

(Foto: Ricardo B. Labastier/JC Imagem).

O corpo do artista plástico Abelardo da Hora está sendo velado desde o início da noite desta terça (23), no Plenário da Assembleia Legislativa. O escultor, pintor e desenhista pernambucano tinha 90 anos e morreu na manhã dessa terça, vítima de uma parada cardiorrespiratória. Abelardo estava internado há cerca de um mês no Hospital Memorial São José, no Centro do Recife. A visitação pública ao corpo do artista ocorre até às 22h dessa terça. Na manhã desta quarta (24), a partir das 8h, o velório será reaberto ao público, sendo encerrado às 10h30. O enterro será realizado no Cemitério de Santo Amaro, a partir das 11h.

Ex-aluno da Escola de Belas Artes do Recife, Abelardo da Hora produziu centenas de obras com forte apelo social e político. No final da década de 1940, criou a Sociedade de Arte Moderna do Recife, que dirigiu por dez anos. Em 1958, fundou o Movimento de Cultura Popular (MCP) ao lado de nomes como Paulo Freire, Germano Coelho e Luiz Mendonça.

Entre as esculturas mais conhecidas do artista, destacam-se o Monumento aos Retirantes, localizado no Parque Dona Lindu e o Monumento ao Frevo, na Rua da Aurora. Outra importante iniciativa realizada por Abelardo foi a criação do projeto de lei que obrigou a instalação de obras de arte nas edificações do Recife com mais de 1500 metros quadrados.  Na visão do deputado Raimundo Pimentel, do PSB, autor da proposta que concedeu a Medalha Leão do Norte ao pintor, no ano passado, a marca deixada pelo artista pernambucano dificilmente será substituída. Ele lembrou que Abelardo era um militante político que atuou num dos momentos mais difíceis do País, em defesa da democracia e da justiça social.

A deputada Laura Gomes, do PSB, presidente da Comissão de Educação e Cultura da Assembleia, disse que Abelardo orgulhou os pernambucanos. Já a deputada Teresa Leitão, do PT, enalteceu o exemplo do escultor, que deixou uma lição de vida, e inspira até hoje novas gerações. O governador João Lyra Neto decretou luto oficial de três dias no Estado. Em nota, ele lembrou a militância política de Abelardo em favor dos mais pobres. O prefeito Geraldo Julio também decretou luto oficial de três dias no Recife.

A secretária de Cultura do Recife, Leda Alves, veio até a Assembleia para se despedir de Abelardo e falou da grandeza de sua obra. Emocionado, Abelardo da Hora Filho disse que o pai estava o tempo inteiro com o pensamento no futuro, refletindo sobre novos projetos e no que faria quando saísse do hospital.  O cantor Claudionor Germano, irmão de Abelardo, também lamentou a morte do artista, que considera uma perda irreparável para a cultura. Marcelo Canuto, secretário de Cultura do Estado, lembrou que o escultor é um homem que marca Pernambuco desde a década de 40. A artista plástica Tereza Costa Rego rememorou a longa convivência com Abelardo, na arte e na política.

Com informações da Assembleia Legislativa de Pernambuco.