• Ceclin
jun 29, 2014 0 Comentário


Convenção de Armando em Caruaru fortalece o palanque de Dilma e Lula em Pernambuco‏

Cercado por caravanas de todas as microregiões de Pernambuco, estas asseguraram a festa da convenção da coligação “Pernambuco Vai Mais Longe“, na casa de eventos Palladium, em Caruaru. Os candidatos Armando Monteiro (PTB), a governador, Paulo Rubem Santiago (PDT), como vice-governador, e João Paulo (PT), ao Senado, tiveram suas candidaturas homologadas neste Domingo (29), em conjunto com os candidatos a deputados Federais e Estaduais dos partidos que compõem a aliança: PTB, PDT, PT, PSC, PT do B e PRB.

No encontro, o deputado federal Paulo Rubem Santiago (PDT) foi oficializado como vice de chapa, ao som de frevo, maracatus, bandas de pífanos e dos jingles da campanha, e sob o espocar de fogos, o encontro teve a presença das mais diversas lideranças políticas, além do presidente Nacional do PDT, Carlos Luppi.

A presidente Dilma Rousseff (PT) vai ter um palanque fortalecido em Pernambuco para a sua reeleição. “Vou dizer amanhã, para a presidente Dilma, que ela vai ganhar aqui em Pernambuco, que Armando vai ganhar, e que João Paulo vai ganhar. Porque está é a vontade do povo de Pernambuco. Pernambuco hoje é outro Estado. Estão aí as obras do Governo Federal”, afirmou o senador Humberto Costa (PT), líder do PT no Senado.

A ligação de Armando com Lula e Dilma remonta de tempos atrás e se intensificou ainda mais a partir de 2003, quando o ex-presidente assumiu, pela primeira vez, o principal cargo da Nação. Desde então, o petebista vem colaborando com as gestões do PT na Presidência, seja como deputado federal ou senador, atuando em votações em favor do governo, na defesa de uma agenda de desenvolvimento no Congresso Nacional ou propondo projetos em prol dos brasileiros.

Em seu discurso, João Paulo fez um apanhado de sua gestão de dois mandatos na Prefeitura do Recife, em que deu prioridade às populações mais pobres, e também destacou o legado dos governos de Lula e Dilma para Pernambuco, ambos responsáveis pelo estágio de desenvolvimento que o Estado alcançou na última década.

Para o presidente nacional do PDT e ex-ministro do Trabalho, Carlos Lupi, a chapa liderada por Armando Monteiro em Pernambuco significa a garantia dos avanços conquistados nos governos Lula e na atual gestão da presidente Dilma. “Essa chapa significa a garantia dos avanços que Lula fez como presidente. Lula colocou comida na mesa de mais de 40 milhões de trabalhadores em todo o Brasil e vai servir para selar parcerias com o governo Dilma, para que Pernambuco avance mais, com mais escolas, mais Bolsa-Família, emprego, renda e educação”, declarou Carlos Lupi, comemorando também a volta ao PDT de Armando Monteiro Filho, pai do petebista.

Outro apoio fundamental de Armando ao projeto nacional liderado pelo PT foi enquanto presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI). De 2002 a 2010, à frente da entidade e do “Sistema S”, que congrega o SENAI e o SESI, o petebista promoveu parcerias com o governo federal com o foco na educação e formação profissional da população brasileira. Durante essa era, mas de 17 milhões de brasileiros ingressaram em cursos profissionalizantes, ajudando a União a alavancar a geração de emprego e renda no País.

Em seu discurso, Armando Monteiro destacou que, entre as prioridades de seu futuro governo, está o compromisso com a educação e com os investimentos em infraestrutura. Armando também defendeu um desenvolvimento social e econômico mais equilibrado em todas as regiões de Pernambuco, além do reforço nas áreas da Saúde, segurança e estímulo aos micros e pequenos empresários.

“Essa aliança tem o compromisso com a interiorização do desenvolvimento, com a educação, de forma a promover uma revolução no Estado. E de construir o melhor ambiente para que os micros e pequenos empresários operem”, disse.

Ele também exaltou a importância de um governo que seja marcado pela participação popular, lembrando que já na fase de pré-campanha foram promovidas as plenárias do Pernambuco 14, projeto que realizou 14 reuniões em todas as regiões do Estado e mobilizou mais de 26 mil pessoas. A iniciativa coletou mais de 5 mil propostas para o futuro programa de governo. Armando também afirmou que a questão da segurança volta a ser problema grave em Pernambuco.

Candidato a vice-governador, Paulo Rubem destacou em seu discurso algumas áreas que merecerão atenção no futuro governo. “Precisamos olhar diferente para a agricultura familiar, o cooperativismo, o artesanato, a pesca. Precisamos de uma política pública que beneficie o homem do campo”, destacou, lembrando ainda que o povo de Pernambuco tem direito a uma educação de qualidade, um compromisso de Armando.

Já o candidato ao Senado João Paulo salientou a parceria entre os governos do Estado e federal. “O legado do PT começou com a vitória de Lula em 2002. Isso só foi possível porque o povo entendeu e escolheu o projeto político de Lula”, reforçou João Paulo. “E o ex-presidente me disse que sempre pôde contar com Armando quando precisou e que sua relação com os aliados sempre o dignificou”, finalizou.

Um momento de destaque foi o pronunciamento do deputado Silvio Costa, presidente do PSC, quando comparou a Insurreição pernambucana de 1645 ao atual momento político. Ele lembrou que a expulsão dos holandeses que começou no Monte das Tabocas em Vitória de Santo Antão foi para refutar a imposição econômica na região, considerando que o candidato de Eduardo ao Palácio do Campo das Princesas, estimula esta ótica de imposição econômica, batizando Paulo Câmara de “cobrador de impostos”. Mais à frente Armando refuta o seu adversário: “Liderança política se constrói com aprovação popular”.

A convenção da coligação Pernambuco Vai Mais Longe foi encerrada com os jingles de Armando, João Paulo e de Dilma Rousseff. O refrão do jingle de Armando destaca que “o que está bom vai continuar”. Ainda no encerramento, Armando Monteiro considerou que sua aliança com João Paulo e o PT é a coligação mais densa e coerente de Pernambuco, pois, segundo ele, a aliança feita pelo ex-governador Eduardo Campos “é um aglomerado disforme e um ajuntamento de interesses com prazo de validade”.

 Confira os melhores momentos…

Multidão ocupou a Convenção de Armando. Fotos: Kylvio Almistron / A Voz da Vitória