Ceclin
fev 17, 2021 0 Comentário


Confira dicas para se destacar e conseguir emprego na crise

Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a taxa de desemprego representa uma crescente desde 2019. Entre maio e julho daquele ano, o número de desempregados representava 11,6% de toda a população brasileira. Um ano depois, em meio à pandemia, a taxa de desemprego subiu para 13,8%. No trimestre seguinte, ainda em cenário pandêmico, os números continuaram crescendo e o número de desempregados passou dos 14,1 milhões (14,3%).

Muitos brasileiros têm dificuldade de se inserir no mercado de trabalho, sejam aqueles que estão em busca de uma primeira oportunidade, ou os que já possuem experiência, mas precisam de um emprego para pagar as contas e ter liberdade financeira. Quando pandemia chegou, o momento se tornou mais delicado.

Gerson Roberto de Jesus tem 47 anos e foi um dos muitos brasileiros afetados pelo desemprego na pandemia. No currículo, passagens em grandes concessionárias de caminhões, onde atuou por quase 25 anos. Ele foi desligado da empresa nos primeiros meses da Covid-19 e levou um tempo até conseguir uma nova oportunidade.

Gerson comenta que, no quarto mês de desemprego, começou a procurar de forma mais efetiva a recolocação no mercado de trabalho. Um dos meios que ele usou para ter acesso a vagas e possíveis oportunidades foi a rede social Linkedin, onde foi possível atualizar o currículo e ter contatos com ex-colegas de trabalho, além de expandir o network.

Foi pela indicação de um ex-colega de trabalho que Gerson conseguiu ter acesso a uma vaga em outra concessionária de caminhões. “Acredito que fui contratado porque tinha uma indicação, pelo conhecimento que eu já tinha no mercado e a experiência já registrada em carteira”, finaliza.

De acordo com a consultora de recursos humanos Dilza Taranto, é importante usar as redes sociais, para ampliar o network e a rede de relacionamentos. Sendo assim, o Linkedin torna-se obrigatório para se candidatar e ver recomendações, além de outras plataformas. “Você pode ter outras redes sociais, e talvez tenha um amigo que sabe de uma vaga, e está em outra rede. É importante abrir esse leque de opções”, explica.

Em meio à crise e inúmeros candidatos à procura de uma colocação no mercado de trabalho, a especialista também traz algumas dicas do que é preciso para chamar a atenção do recrutador e ser visto como alguém diferenciado. “Foque nos resultados que você já ofereceu às outras empresas e quais lucros foram obtidos. Muita gente tem conhecimento, mas o que diferencia são as habilidades”, diz. “O mercado recomenda que a pessoa saiba trabalhar em equipe, tenha foco nos resultados e até mesmo um pouco de liderança. Valores, atitudes e habilidades geram competência profissional”, complementa.

Por Rafael Sales, do LeiaJá