Ceclin
jun 01, 2020 0 Comentário


Condsef emite nota de repúdio a veto de reajuste

A Condsef/Fenadsef emitiu uma nota de repúdio ao veto de Bolsonaro que impossibilita o reajuste a uma série de categorias que estão atuando no combate à Covid-19, cobrando caminhos para garantir investimentos públicos e alertando sobre as consequências graves caso o Governo siga  com o projeto de desmonte do serviço público.

Na última quinta-feira (28/05), Bolsonaro vetou o reajuste que havia sido garantido no Congresso durante a tramitação do PLP 39/20. Inicialmente, o governo condicionou a ajuda aos estados e municípios, ao congelamento dos salários dos servidores por 18 meses, até dezembro de 2021. Mas, na tramitação do texto, deputados e senadores haviam poupado uma gama de servidores. Entre eles, professores, médicos, enfermeiros, profissionais de limpeza urbana e agentes funerários. Agora, a Condsef fará uma força tarefa para convencer os parlamentares a derrubarem o veto.

Na nota, Condsef traz dados que desmistificam os ‘privilégios’ da categoria. A grande maioria dos servidores está há mais de três anos sem reajustes e teve um aumento das alíquotas previdenciárias que ultrapassa 14%.

Servidores também não têm direito ao FGTS. A estabilidade dos servidores é outra ficção. Segundo a CGU, desde 2003, 16.681 trabalhadores da administração pública foram expulsos. A estabilidade real, destaca a nota, é uma proteção para a sociedade, para que as políticas de Estado sejam  mantidas apesar das mudanças de gestão.

Sede fechada – O Sindsep continuará com a sua sede fechada para atendimento presencial nesta segunda-feira (1º), devido ao plano de quarentena adotado pelo Governo de Pernambuco. A direção do sindicato analisará, ainda nesta segunda, o anúncio do Governo sobre as atividades a serem retomadas para tomar um posicionamento.

Sindicato dos Servidores Públicos Federais de Pernambuco – SINDSEP-PE