Ceclin
out 09, 2011 0 Comentário


Condic beneficia fábrica de fora

INDÚSTRIA Empresas como Sadia e Schincariol receberam autorização para produzir em outros Estados com incentivo de Pernambuco

Jornal do Commercio

Pernambuco concedeu benefícios fiscais para produtos fabricados em outros Estados.

Sexta-feira, de uma única vez, o Conselho Estadual de Política Industrial, Comercial e de Serviços (Condic) concedeu benefícios fiscais para a produção fora de Pernambuco à Sadia, Schincariol e Fiabesa. Dos três casos, o que mais chama a atenção é o da Sadia que, no mesmo documento, solicitou benefícios para uma linha de produção nova. Acontece que, ao receber aprovação de R$ 12 milhões em incentivos, imediatamente reverteu o benefício para a margarina e creme vegetal que serão produzidos fora do Estado.

Segundo o secretário executivo de Desenvolvimento Econômico, Roberto de Abreu, o benefício se justifica porque no geral são empresas locais que fazem “um teste” para uma eventual instalação de linha de produção dentro de Pernambuco.

Há muito tempo as regras fiscais de Pernambuco permitem a manutenção do benefício fiscal em caso de terceirização dentro do território estadual. Para além de todo o emaranhado legal, politicamente a lógica é de que os empregos gerados pela terceirização continuam pernambucanos.

Mas uma lei pouco utilizada, a Lei 13.956, de dezembro de 2009, que permite a terceirização fora do Estado, já beneficiou duas outras empresas, de acordo com Abreu.

Na apresentação feita pelo governo do Estado, o que chamou atenção no caso da Sadia que ela pediu para a sua fábrica em Vitória de Santo Antão incentivos fiscais de exatamente R$ 12.016.345 para “ampliação com nova linha de produtos”: margarina e creme vegetal. Mas, imediatamente, pediu autorização para terceirizar a produção desses mesmos produtos para fora de Pernambuco e vendê-los no Estado, com os benefícios.

“Todos os que fazem essa terceirização têm produção local. As mercadorias que a Sadia vai terceirizar serão um teste de mercado, aqui”, argumenta Roberto de Abreu.

“A Schincariol tem duas fábricas no Estado. Sempre que chega no verão a linha de produção dela chega no limite. No passado, já terceirizou com fábrica local. Agora, será fora do Estado”, explica Roberto. A Schincariol terceirizará a produção para si mesma, em Cachoeiras de Macacu, no Rio de Janeiro e em Alagoinhas, na Bahia.

Mas a Fiabesa via contratar o serviço de outra companhia, em Marechal Deodoro, em Alagoas, a DDA Contêineres Flexíveis.