• Ceclin
ago 12, 2019 0 Comentário


Concessão do título de Doutor Honoris Causa para Lia de Itamaracá é aprovada pela UFPE

Lia de Itamaracá é Patrimônio Vivo de Pernambuco — Foto: Marlon Costa/Pernambuco Press

Lia de Itamaracá é Patrimônio Vivo de Pernambuco — Foto: Marlon Costa/Pernambuco Press

Um título como esse é muito importante para a nossa cultura. Isso ajuda a sustentar a nossa tradição e também muita gente’, diz a cirandeira, que é Patrimônio Vivo de Pernambuco.

Por Pedro Alves, G1 PE

A Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) aprovou a concessão do título de Doutor Honoris Causa à cirandeira Lia de Itamaracá. Patrimônio Vivo de Pernambuco, ela é uma das 14 filhas de um casal de agricultores e levou a ciranda pernambucana para diferentes locais do mundo.
A aprovação da honraria ocorreu na sexta-feira (09/8), durante uma reunião do Conselho Universitário, na Reitoria da UFPE, e Lia recebeu a notícia na manhã deste domingo (11). Segundo a UFPE, a data da cerimônia de entrega do título vai ser definida. O título de Doutor Honoris Causa é concedido por universidades a personalidades eminentes que tenham contribuído para o progresso da universidade, da região ou do País, ou que se distinguiram pela sua atuação a favor das ciências, das letras, das artes ou da cultura em geral.

Um título como esse é muito importante para a nossa cultura. Eu ensino o povo a dançar, a cantar, e luto para que a nossa cultura não caia, para que não derrubem nossa cultura ainda mais. Isso ajuda a sustentar a nossa tradição e ajuda também muita gente, declara Lia.

Considerada a “rainha da ciranda”, Lia recebeu outras homenagens em 2019, como a da Feira Nacional de Negócios do Artesanato (Fenearte) e uma biografia escrita pelo jornalista Marcelo Henrique Andrade. Ela também foi uma das homenageadas do Galo da Madrugada.

“Eu me sinto muito feliz, honrada, com o título, que é algo que eu adoro. Para mim, é mais uma carreira que eu estou incentivando. Estou gostando muito, achando uma maravilha essas homenagens que eu tenho recebido. Aos 75 anos, não imaginava que estaria recebendo o título de Doutor Honoris Causa, mas pelo reconhecimento do meu trabalho, isso está sendo possível”, diz. Ao todo, Pernambuco tem 63 Patrimônios Vivos, sendo que, além de Lia, apenas o Mestre Salustiano, que morreu em 2008, tem o título de Doutor Honoris Causa, também pela UFPE.