Ceclin
abr 01, 2010 10 Comentários


COMUNIDADES: Real Vitória lembra da promessa da Prefeitura





por Adriano Campelo

O cidadão é vítima no dia-a-dia das mais variadas formas de manipulação, tanto pela elite e falsos socialistas. Que faz acreditar sempre em seus contos, falas, mensagens e até na imagem que sempre estão prontas para motivar emocionalmente, aflorando do peito do simples trabalhador que busca de seis às dezoito horas, todos os dias, tentando levar para sua casa o complemento da mesa.



Fazendo até lembrar o império da promessa quando no populismo já existiam as manobras, direcionada a massa de eleitores bitolados a apenas ouvir a voz e perceber os gestos apaixonados do líder. É como se a política tomasse o aspecto de um espetáculo de circo, os políticos os exímios malabaristas.



Entre os que já passaram e estão nesse pequeno mundo que fica apenas há 48 km da “cidade das pontes”, sempre carregaram em si traços personalistas do coronelismo na certeza que a massa sempre estava a seu favor.

Há exatamente sete meses e sete dias com seu discurso pronto só para acalmar a população que clamava por dias melhores, esta que já vinha a uma década e meia pedindo e implorando dos que por lá haviam passado, o atual governo disse sem temer que em 02 de janeiro de 2010 atenderia as necessidades da comunidade do Loteamento Real, em Vitória de Santo Antão. Já se passaram 90 dias, diante do microfone e lentes da Globo NE no quadro VIDA REAL, o assessor das promessas desta cidade afirmava que nos próximos 90 dias (“estamos fazendo uma licitação de 09 milhões de Reais para obras de calçamento e saneamento nos bairros Irã, Iraque e Loteamento Real Vitória”).

“Isto não é uma promessa e sim um compromisso de todos nós que fazemos a gestão municipal”, prometeram. Hoje, estando no 1º de abril, nas contas fazem sete meses e sete dias que a Prefeitura falou uma frase marcante, passando muita emoção para apenas acalmar os moradores que vem a quase 16 anos, buscando dias melhores.

Mas como o presidente Getúlio Vargas falou quando ajudou a eleger Dutra: “Ficaria do lado do povo contra ele se ele não cumprisse promessa de campanha.”

As carências são múltiplas, mas as comunidades citadas só reivindicam o básico, até mesmo atendendo ao pedido o Município se livraria de vários gastos, inclusive na saúde desses bairros, pois poderiam contar com serviços básicos que evitassem a proliferação de doenças. Até leigos sabem das conseqüências para população a ausência de pavimentação e saneamento.


por Adriano Campelo.