Ceclin
jan 19, 2010 0 Comentário


Compesa terá recursos do Banco Mundial para investir em obras

A Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) vai contar com recursos do Banco Mundial para investir em recursos hídricos. O montante chega a ser de US$ 190 milhões, que corresponde a R$ 336 milhões.

Ao todo serão 100 ações, dentre elas, a revitalização da bacia do Rio Capibaribe e a criação da nova Agência Pernambucana de Água e Clima (Apac). De acordo com o secretário de Recursos Hídricos e presidente da Compesa, João Bosco de Almeida, os investimentos serão divididos em três componentes: gestão de água, US$ 29 milhões; eficiência no controle de perdas, que envolve a melhoria e o monitoramento das redes de distribuição de água e que empregará US$ 52 milhões; e projeto e obra, que envolverá os US$ 109 milhões restantes.

Para impedir que dejetos sejam depositados no Rio Capibaribe, o projeto de limpeza do local tem o objetivo de implantar 100% de cobertura de esgotamento sanitário nos municípios de Paudalho, Limoeiro, Salgadinho, Toritama e Vitória de Santo Antão.
Para a construção da nova agência Apac, estão previstos, com os recursos do Banco Mundial, a construção de uma sede e a realização de um concurso público para contratação de 100 técnicos. O financiamento total dos recursos do Banco Mundial deverá ser pago em 15 anos. A previsão é que as obras comecem no segundo semestre de 2011 e sejam concluídas em dois anos.