• Ceclin
jul 25, 2019 0 Comentário


Como seria a vida sem as lojas virtuais

Como seria a vida sem as lojas virtuais

Você já parou para pensar como seria sua vida sem a tecnologia? Sem o smartphone que neste momento está no seu bolso? Para saber como seria a vida sem as lojas virtuais, vamos dar um pulo em um passado não muito distante.

A internet foi criada no ano de 1968. Contudo, chegou ao Brasil somente em 1988, e nessa época era disponível somente em algumas universidades. Foi somente no ano de 1994 que ela chegou nos lares das famílias brasileiras.

Entretanto, naquela época, poucas eram as famílias que possuíam condições de ter um microcomputador. Dessa maneira, os primeiros microcomputadores eram adquiridos somente por poucas famílias da classe média alta.

Os primeiros modelos disponíveis foram o 286, 386, 486. Somente com o lançamento do pentium, e com a economia um pouco mais estabilizada, que o microcomputador começou a se popularizar.

Contudo, as lojas virtuais, até então eram bem pequenas. As compras pela internet representavam uma ínfima parte da economia do País, e as pessoas ainda tinham o hábito de realizar todas as suas compras no varejo físico.

Uma viagem no tempo

Para as gerações nascidas de 1985 em diante, viver sem internet pode parecer algo realmente espantoso. Confesso, que na semana passada quando tive problemas com meu provedor e precisei ficar três dias off-line quase entrei em desespero.

Entretanto, diversas gerações viveram de forma desconectada. E realmente era tudo bastante difícil. Para combinar um encontro, somente por telefone, isso quando a família dos dois lados possuía uma linha telefônica. Afinal, até o final dos anos 90 as linhas telefônicas eram caríssimas.

Caso não possuíssem a solução era se encontrar por aí. Combinar um novo dia e horário, e torcer para não levar cano. Os amigos aproveitavam o recreio escolar para combinar alguma coisa para fazer. Chato, não?

Pois é, e o pior, se você estivesse em casa, com fome, sua chance de conseguir algo para comer era somente indo até o mercadinho mais próximo. Ifood? Nem sequer pensaria em existir. Tente imaginar sua vida sem o Ifood?

Ninguém fazia nem ideia de o que é e-commerce, tudo era comprado em grandes varejistas.

E aquele tênis bacana que acabou de lançar? Se você morasse no interior, infelizmente teria que torcer para alguma loja colocar ele à venda, e caso isso não ocorresse implorar para o seu pai te levar até uma cidade vizinha para conseguir comprar o tão desejado tênis.

As imensas dificuldades da vida sem lojas virtuais

vitrola que tocava LP e K7

Bom, assim como o tênis, você também teria dificuldades em comprar uma nova roupa. Adquirir um celular de última geração, e por incrível que pareça até para ouvir uma boa música era bem mais difícil.

Isso porque, não existia spotify, e nem internet para você ouvir um som. Para isso, seus pais precisavam ter uma vitrola, que tocava LP e K7. E quando você quisesse ouvir uma música legal, precisaria gastar um bom dinheiro, comprando um LP que não era nada barato.

Nesse LP você iria ouvir aproximadamente dez músicas que não gostava. Para então, finalmente chegar o sucesso que você gostaria de ouvir. E tomar todo o cuidado do mundo para que ele não tivesse nenhum risquinho.

Assistir filmes? Era uma verdadeira luta. Pois, os filmes mais legais geralmente demoravam para chegar às videolocadoras, e quando chegavam já existia uma fila imensa esperando pelo filme. Confesso que nunca entendi quando essas pessoas entravam na fila.

A leitura era para poucas pessoas abastadas 

livraria

Um outro ponto negativo da vida sem as lojas virtuais era o fantástico mundo da leitura. Naquela época, existia somente algumas papelarias e livrarias. Confesso que, nesse ponto, adorava o cheirinho das livrarias.

Lembro que passava horas para escolher um tema. O dinheiro era curto e a variedade razoavelmente grande. E lá ficava eu, sentindo aquele cheiro de livros. Quando os abria para ler, parecia inclusive que a história possuía cheiro.

Parece lindo e romântico, mas a verdade é que, para os verdadeiros amantes da leitura era um verdadeiro martírio. Não podíamos ler como lemos hoje. No máximo um livro ou dois por ano, a não ser que sua família possuísse uma condição financeira muito boa.

Inclusive, esse artigo que você agora está lendo, jamais existiria naquele tempo. Aliás, até existiria, em algum jornal de grande circulação, cuja assinatura também não era nada em conta, e que, por motivos que não nos cabe narrar, não expressavam todo o pensamento do escritor.

Por quantas vezes escrevi um lindo artigo para o jornal e quando pegava-o para ler, a surpresa. Estava todo distorcido, cheio de mudanças estratégicas que me deixavam enfurecido. Mas, a vida era assim, manda quem pode, obedece quem tem juízo.

Com o advento da internet, blogs e lojas virtuais popularizaram a leitura. Hoje você pode adquirir um livro em dois cliques. Pode inclusive ler o próprio livro na palma da sua mão. Fantástico não?

A vida sem as lojas virtuais seria bastante monótona

Como você pode notar, a vida sem as lojas virtuais seria bastante monótona. Esse momento, que você deve estar acionando seu Smartphone para chamar um Uber que te levará até a casa de um amigo, jamais existiria.

Você teria que se deslocar até um ponto de táxi. Torcer para ter algum táxi disponível no momento, e para que o humor do taxista estivesse dos melhores. Era importante também não reclamar muito. Se ele ficasse enfurecido poderia te deixar pelo caminho. E certamente, você não teria outra opção de deslocamento.

Nesse sentido, você já deve estar pensando, “nasci na época certa”. Realmente, você foi um verdadeiro privilegiado de poder pedir comida pelo Ifood, chamar o Uber, assistir um filme a qualquer momento na Netflix, ouvir a música que deseja no Spotify, comprar seus livros e poder lê-los logo em seguida no seu smartphone.

Além é claro, de poder comprar um tênis, uma roupa, um eletrodoméstico, entre outros itens que talvez eu tenha me esquecido, tudo pela palma da sua mão. Fantástico não é mesmo?

Pois é, essa seria a vida sem as lojas virtuais. Agora que você já sabe as dificuldades e monotonia que essa vida poderia lhe trazer, aproveite mais a internet. Compre mais pela internet. Use e abuse. Afinal, seu avô não deu a mesma sorte.