• Ceclin
abr 04, 2011 1 Comentário


Comissão da Anistia visita Engenho Galileia

Atividades acontecem no Recife, Vitória de Santo Antão e Itapetim

Por Marcos da Silva


Nesta segunda-feira (4), as cidades do Recife, Vitória de Santo Antão e Itapetim, são palcos da Semana Marcas da Memória de Pernambuco. O evento traz à tona, para os mais velhos, os familiares dos que sofreram perseguição política e os sobreviventes do Governo Militar, o debate; e aos mais novos, a descoberta de uma fase sinistra da história do Brasil, com diversas atividades alusivas à época.

Na manhã do sábado (2), a Secretária de Direitos Humanos e Segurança Cidadã, Amparo Araújo, e uma equipe da Secretaria, do Governo de Pernambuco e da Comissão de Anistia do Ministério da Justiça, visitaram o Memorial do Engenho Galiléia, na cidade de Vitória de Santo Antão, onde está um acervo documental das Ligas Camponesas. A visita teve o intuito de continuar o diagnóstico das condições do acervo, que se iniciou em março em 2009 e dar suporte ao Memorial do Engenho.


Hoje (4), as atividades da Semana Marcas da Memória de Pernambuco se encerram às 15h40, com os representantes das três esferas governamentais indo ao município de Itapetim, no sertão pernambucano,

para inaugurar uma praça em homenagem ao militante João Leonardo da Silva Rocha (Zé Careca), que viveu no município como camponês de 1971 a 1974. João era baiano e tinha 36 anos quando desapareceu, em 4 de novembro de 1974.

Anos de Chumbo Durante a Ditadura Militar, a Secretária de Direitos Humanos e Segurança Cidadã (SDHSC) do Recife, Amparo Araújo, foi considerada uma subversiva pelo Governo. Por conta disto, Amparo teve a família retaliada. O marido, Luís José da Cunha foi assassinado em julho de 1973 e seu corpo só pôde ser enterrado em setembro de 2006. O irmão, Luís Almeida Araújo está desaparecido desde junho de 1971 e seu corpo ainda não foi localizado.


“A Semana está sendo emocionante em função do que representa para o Estado e o Brasil. O projeto envolve os três poderes do governo: federal, estadual e municipal. Hoje, o presidente da Comissão da Anistia, Paulo Abrão, entregou a minha Certidão de Anistia e pediu-me desculpas públicas pelo que aconteceu comigo e com a minha família durante o Governo Militar. Antes, eu só tinha um exemplar do Diário Oficial da União (DOU), de 29 de junho de 2006″, assegurou Amparo Araújo.
Ainda segundo Amparo, a Semana garante a preservação da memória, porque um povo que não tem memória, não tem identidade, acentua.

Serviço:

Semana Marcas da Memória de Pernambuco
Atividades em Recife, Vitória de Santo Antão e Itapetim
Até 4 de abril