• Ceclin
fev 06, 2018 0 Comentário


Com pneus usados, estudantes da rede municipal de Chã Grande desenvolvem jardins

a adesão ao projeto busca diminuir a poluição ao meio ambiente que é outro grande problema a ser combatido. Foto: Marcos Silva

A adesão ao projeto busca diminuir a poluição ao meio ambiente que é outro grande problema a ser combatido. Foto: Marcos Silva

Abordando a educação ambiental sob o tema de reciclagem, estudantes e professores da Escola XV de Março, da rede municipal de ensino de Chã Grande promoveram em conjunto com a Secretaria de Meio Ambiente o projeto que conta com a criação de jardins utilizando-se de pneus usados. A iniciativa em primeiro momento embelezaria a Escola XV de Março com os jardins cultivados pelos alunos e professores, porém, o tamanho sucesso resultou na adesão ao projeto por parte da Secretaria de Urbanismo que implantou os jardins sustentáveis na Praça Newton Carneiro, ganhando mais vida com a aderência deste projeto.

O intuito do projeto é conscientizar os jovens sobre a importância da reciclagem mostrando as muitas formas que um pneu usado pode ser reaproveitado ao invés de jogá-lo fora dando a oportunidade de virar um criadouro do mosquito Aedes Aegypti, transmissor da Dengue, pelo qual através disto visa diminuir a incidência de pneus usados jogados no meio ambiente. A adesão ao projeto busca diminuir a poluição ao meio ambiente que é outro grande problema a ser combatido.

Cisternas

Comunidades rurais que sentem a dificuldade no armazenamento do líquido precioso, serão beneficiadas com a construção de 200 cisternas. O projeto foi trazido a Chã Grande através de uma parceria entre a administração municipal, a Associação Chãgrandense de Assistência Social (ASCA) e o Pró-Rural. Na segunda-feira (5), o prefeito Diogo Alexandre (PR) fez a assinatura da ordem de serviço, e as obras devem iniciar após o Carnaval, beneficiando 200 famílias da zona rural.

As obras ficarão a cargo da Caritás, organização da Igreja Católica, que faz parte da Diocese de Caruaru. A entidade, que venceu a licitação para  construção das cisternas, utilizará mão de obra local, beneficiando também a economia local.