Ceclin
abr 20, 2020 0 Comentário


Coluna do Sintepe aborda merenda, Enem 2020 e ação no MPPE

MERENDA

No dia 18 de março as escolas tiveram suas atividades suspensas como forma de contribuir para o distanciamento social, único mecanismo capaz de reduzir a velocidade de contágio pelo novo Coronavírus. Sem aulas há um mês, os/as estudantes da rede estadual ficaram também sem merenda.

Assim, a Secretaria de Educação anunciou a distribuição de um cartão alimentação, no valor de R$ 50 (cinquenta reais), para os/as estudantes das escolas estaduais. Porém, não contemplará a todos/as.

O Sintepe, por sua vez, entende e defende a lógica de que, se a merenda é distribuída para todos/as os/as estudantes da rede estadual, o cartão-alimentação também deve contemplar todo o corpo discente e não apenas uma parcela desse contingente, conforme informou a própria Secretaria de Educação.

ENEM 2020

O Ministério da Educação divulgou o edital do ENEM 2020 desconsiderando a pandemia que assola, não só o País, mas o mundo todo. Assim, o prazo para os/as estudantes solicitarem isenção da taxa de inscrição do ENEM já se encerrou na última sexta-feira (17/04).

Para milhões de estudantes, a isenção da taxa de inscrição é determinante para a participação no ENEM 2020. Assim, dos milhões que solicitam isenção anualmente, muitos ficaram prejudicados por não possuírem acesso à internet, já que este ano as escolas estão fechadas e a renda familiar não permite a internet em casa.

Caso não haja a alteração dos prazos do ENEM, o Movimento Estudantil, a CNTE e muitas outras entidades cogitam entrar na Justiça para assegurar o direito dos estudantes de solicitarem a isenção da taxa de inscrição, com consequente participação no ENEM 2020.

Bem como, enfatizar a necessidade do adiamento das provas, considerando que sem aulas e sem acesso à internet, esses milhões de jovens estarão em grande desvantagem, além de social, educacional para a realização das provas.

MPPE

O Ministério Público de Pernambuco (MPPE) deverá se pronunciar sobre a reclamação do Sintepe a respeito da obrigatoriedade das aulas não-presenciais. O MPPE solicitou esclarecimento à Secretaria de Educação e ao Conselho Estadual de Educação, concedendo-lhes um prazo que termina no início desta semana.

Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado de Pernambuco – SINTEPE