• Ceclin
set 18, 2008 1 Comentário


CNTE divulga nota em resposta a críticas sobre lei do piso nacional dos professores

A Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE), divulgou nota ontem (17) respondendo às críticas da secretária de educação do Rio Grande do Sul, Mariza Abreu, em relação à lei do piso nacional do magistério. A manifestação da entidade se deu após matéria publicada anteontem (16) pela Agência Brasil. A CNTE acusa os estados de São Paulo, Minas Gerais e Rio Grande do Sul de liderarem uma “movimento orquestrado” conta a lei do piso, mas Mariza afirmou que essa é uma posição dos secretários de educação como um todo.

A nota da CNTE assegura que muitos estados são favoráveis e já pagam o piso. “Alguns estados e municípios já se adiantaram e adotaram o novo piso, a exemplo de Pernambuco e Piauí. Outros já possuíam vencimentos iniciais de carreira acima do piso, prova de que a posição contrária ao tema não é unanimidade entre os secretários de educação”, diz o texto, que é assinado pelo presidente da CNTE, Roberto Leão.

Sobre o comentário da secretária de que a lei “não vai pegar” e isso “enfraquece a democracia”, a nota de Roberto Leão diz que é “um desserviço” esse tipo de comentário. “Apostar no fracasso de uma norma aprovada por unanimidade, no Congresso, ao invés de lutar por mais recursos para a educação é uma atitude antidemocrática e que não cabe a uma autoridade de governo”, afirma a nota.