Ceclin
nov 18, 2008 0 Comentário


Cigarro é o principal causador da DPOC

JULIANA ARETAKIS

Quem deseja parar de fumar já tem mais um bom motivo para começar a agir.
O cigarro é apontado como o principal agente causador da doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC), responsável pela morte de quatro brasileiros a cada hora. Segundo dados do Sistema Único de Saúde (SUS), anualmente a doença mata 39 mil pessoas, o que corresponde a 110 óbitos por dia, um a cada 12 minutos. Nas duas últimas décadas, a DPOC apresentou um crescimento de 340%, de acordo com pesquisa da Associação Latino-Americana de Tórax (ALAT).

Desse número, a maioria morre sem ter o diagnóstico correto da doença, já que muitos acabam se adaptando aos sintomas sem procurar o auxílio médico. Sem cura e incapacitante, a prevenção se torna essencial. Por isso, o Dia de Combate à DPCO será celebrado nesta quarta-feira com orientação para a sociedade recifense.
A paisagem da Praça Parque Amorim contará com uma escada de quatro metros de altura, decorada pelo artista plástico Bruno Vilela, para chamar a atenção dos que passam pelo local. No espaço, médicos e enfermeiros, estarão das 8h às 18h, informando a população sobre a doença. Na data tembém será realizada uma avaliação pulmonar entre os que se apresentam dentro do grupo de risco, que são os fumantes e ex-fumantes acima dos 40 anos de idade.
Saiba mais

A DPOC é uma nomenclatura que corresponde à bronquite crônica e ao enfisema pulmonar. O primeiro e mais evidente sintoma é a dispnéia, ou seja, o cansaço físico. A doença ocasiona uma deformidade no pulmão dos doentes com a destruição de algumas áreas.
Embora o órgão esteja cheio de ar, este não serve para a troca gasosa, e dificulta as atividades nasais.

A tosse com expectoração também é um sintoma comum. Os principais medicamentos usados para controlar a DPOC são os broncodilatadores e os corticóides inalatórios.
Quem tem a doença acaba se tornando predisposto ao infarto e a outras infecções respiratórias. Por isso, uma boa qualidade de vida e o abandono do cigarro são essenciais para amenizar o problema.
(Folha de Pernambuco).