Ceclin
fev 04, 2022 0 Comentário


Ciência & Tecnologia de PE disponibiliza Bolsas de Estudo para formar 7 mil pessoas

Com R$ 1,72 milhão em investimentos, SECTI e FACEPE lançam novo edital para formar mais de 7.000 pessoas nas habilidades de futuro

A Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação (SECTI) e a Fundação de Amparo à Ciência e Tecnologia do Estado de Pernambuco (FACEPE) lançaram na quarta-feira (02.02), o segundo edital para o Programa de Extensão Tecnológica (PET). Em sua primeira edição, foram atendidas quatro mil pessoas, em todas as regiões de desenvolvimento pernambucanas. Para esta versão 2022.1, a meta é alcançar até 7.700 estudantes e professores de Ensino Médio e graduação atendidos pelo programa.

O investimento é de R$ 1,72 milhão, dentro do Plano Retomada, para o financiamento de Bolsas de Estudo para alunos e docentes. Desse total, 30%, no mínimo, é destinado para apoiar propostas das regiões de desenvolvimento do interior do Estado.

O PET integra o Forma.AI, maior política pública da história de Pernambuco voltada para a formação de pessoas nas habilidades de futuro. É um programa consolidado de integração entre academia e setores produtivos. Dos 90 projetos aprovados na sua primeira versão, 31 receberam Menção de Destaque por sua contribuição ao desenvolvimento econômico, social e sustentável do Estado.

Os cursos são formatados de acordo com os principais desafios do mercado e os estudantes aprendem novas competências atuando diretamente na resolução de problemas reais das empresas. O programa é voltado para estudantes e professores de graduação de Instituições de Ensino Superior (IES) de Pernambuco e de Ensino Técnico e Médio nas Escolas Técnicas Estaduais (ETEs) e Escolas de Referência de Ensino Médio (EREMs), juntamente com negócios que integram as cadeias produtivas de maior participação no Produto Interno Bruto (PIB) do Estado.

Será promovida uma jornada de formação de 4 meses de duração. A primeira etapa, com turmas de até 100 alunos, terá um mês de capacitação, com até 60 horas/aula. E em uma segunda fase, com um grupo menor, de 10 estudantes selecionados por melhor desempenho, que participarão de atividades de extensão tecnológica nas empresas envolvidas em cada módulo.

“O PET mobiliza de forma pioneira as Escolas Técnicas e de Referência em Ensino Médio da rede pública estadual, além das Instituições de Ensino Superior e empresas de todas as regiões de Pernambuco. É um programa fundamental dentro de nossa diretriz de promover a interiorização do desenvolvimento científico e tecnológico. E o sucesso dessa iniciativa é resultado direto da integração de todo o ecossistema de Inovação. Todos juntos, construindo o futuro do nosso Estado e tornando Pernambuco em referência na formação de capital humano”, destacou o secretário de CTI, Lucas Ramos.

“O mercado de trabalho hoje é completamente diferente do que era há cinco anos. Com o PET, estamos preparando os estudantes para essa nova realidade, para os novos desafios da Economia cada vez mais digital. Importante destacar que estamos no início do segundo mês de 2022 e já lançamos quatro editais que atuam diretamente na promoção do desenvolvimento socioeconômico de Pernambuco, a partir do fomento à pesquisa científica, à tecnologia e à Inovação. A capacidade com que o Estado avança nesse sentido, colocando a formação de pessoas em primeiro lugar, é nosso grande diferencial”, reforçou o presidente da FACEPE, Fernando Jucá.

“O PET tem um objetivo claro de fortalecer a extensão tecnológica em Pernambuco, abrindo espaço não apenas para estudantes e professores de Instituições de Ensino Superior, mas integrando as unidades da rede pública de Ensino Médio e Técnico. Também focamos na formação em novas tecnologias habilitadoras que têm impactado diariamente na forma como trabalhamos, estudamos, consumimos, vivemos em sociedade. Aprendemos com a primeira versão em 2021, monitorando todo o programa e melhorando o processo. Por isso, nossa expectativa de ampliar a base de beneficiados nesta segunda edição”, complementou o diretor de Ambientes de Inovação e Formação Superior da SECTI, Carmelo Bastos.

Como se inscrever?

As inscrições devem ser realizadas pelos professores e professoras integradores, que são os coordenadores efetivos da proposta. São os responsáveis pela articulação com as empresas parceiras, identificando o desafio vivido pelo setor produtivo. Elaboram o projeto de extensão tecnológica que vai formar os estudantes que atuarão na resolução do problema. E submete o plano de curso para avaliação da FACEPE.

As propostas devem ser encaminhadas até o dia 04 de março de 2022. Os resultados serão divulgados no dia 20 de março. Todo o processo de inscrição é digital, através da plataforma Agilfap (https://agil.facepe.br/).

Quais são as tecnologias e setores produtivos alcançados pelo PET?

Cada proposta elaborada deve utilizar, ao menos, uma tecnologia habilitadora 4.0: Inteligência artificial; Ciência de dados e Analytics; Computação em nuvem ou névoa; Robótica e Automação; Manutenção Preditiva; Realidade Aumentada e Virtual; Energias Renováveis; Manufatura Aditiva; Sensores Inteligentes; Internet das Coisas (IoT); Redes 5G e Redes Ópticas; e Gêmeos Digitais.

Já as áreas de aplicação definidas no Edital são: Agronegócio e Laticínios; Biotecnologia e Saúde Digital; Comércio, Serviços e Turismo; Confecções e Moda; Construção Civil e Infraestrutura Urbana; Eletroeletrônicos e Metalmecânica; Energia Renovável e Sustentabilidade; Gesso e Novos Materiais; Governo Digital e Inclusão Social; Indústria de Transformação; Logística e Portuária; e Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC).