Ceclin
ago 24, 2020 0 Comentário


Centro Acadêmico de Vitória faz 14 anos como experiência de sucesso na interiorização

São cerca de 1,6 mil estudantes, 140 professores efetivos e 90 técnicos administrativos no Campus Vitória

O Centro Acadêmico de Vitória (CAV) da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) comemora 14 anos completados no último dia 21 de agosto. Localizado no município de Vitória de Santo Antão, na Zona da Mata Sul, o Campus Vitória oferece seis cursos de graduação, dois programas de mestrado e cinco de residência uni e multiprofissional. São cerca de 1,6 mil estudantes, 140 professores efetivos e 90 técnicos administrativos.

“O CAV chega aos 14 anos como uma experiência de sucesso na interiorização das universidades federais”, afirma o diretor do Centro, José Eduardo Garcia. Para ele, o mais importante é que de 90% a 95% dos estudantes são de cidades do interior de Pernambuco e alguns de outros estados. “Muitos voltam para suas cidades de origem para exercer suas profissões, fechando o ciclo da interiorização”, explica. Para o professor, a questão da infraestrutura é o grande desafio que o CAV enfrenta. “Nossa perspectiva é que o CAV se aprimore, melhorando sua estrutura física, porque temos um corpo docente muito qualificado e comprometido e um corpo técnico de excelência”, destaca, lembrando que o Centro já conta com ex-alunos atuando inclusive no próprio corpo docente.

O vice-diretor do CAV, José Antônio dos Santos, também destaca a qualidade do Centro. “Ao longo de todo esse tempo, temos lutado pela interiorização e conseguimos manter a excelência no ensino, na pesquisa e na extensão. E, apesar de toda a falta de investimento na educação, o CAV resiste e resistirá como um ambiente humano e acolhedor”, afirma o professor. “O nosso Centro cresceu muito nesses 14 anos e muito ainda tem a crescer e prosperar em seu objetivo principal que é formação de pessoas com um olhar crítico, reflexivo e, sobretudo, humano”, defende. “O CAV é fruto de muitos sonhos, de alunos, professores, técnicos e terceirizados. Os sonhos nos tornam resilientes e com força pra seguir em frente para um excelente futuro”, complementa.

A transformação citada pelos diretores pode ser percebida também no alunado. “O CAV para mim é um berço de estudo que só quem está lá entende o quanto é importante para a sociedade. Ele é simplesmente um local de transformação social e cultural que faz a gente crescer como ser humano”, diz o estudante Eliel Ribeiro Gomes, da graduação em Ciências Biológicas.

A professora Karla Patrícia de Sousa Barbosa Teixeira, do bacharelado em Educação Física, ressalta a sensação de pertencimento ao Campus Vitória. “O CAV faz parte de mim. São muitos momentos vividos, sonhos e objetivos alcançados, amizades, trabalhos e projetos. Que consigamos crescer em estrutura para oportunizar ainda mais a formação superior dos estudantes de Vitória e cidades circunvizinhas!”, deseja.

Para o reitor Alfredo Gomes, o CAV é um marco no desenvolvimento da Universidade. “O CAV representa um grande salto nesse processo de expansão e democratização”, afirma. Ele aproveitou para parabenizar todos que fizeram e fazem o CAV, com muito esforço e dedicação, e disse que esse é o momento de consolidar o processo de interiorização da UFPE.

CAVest UFPE

O projeto pré-acadêmico CAVest, do Centro Acadêmico de Vitória (CAV) da UFPE, abre seleção para professores de inglês (uma vaga) e espanhol (uma vaga). As inscrições estão abertas até o dia 21 de setembro e devem ser realizadas através do e-mail [email protected] As vagas são voltadas para graduandos e graduados que desejam atuar como professores voluntários.

Os organizadores reforçam que, devido à pandemia, as aulas do CAVest estão de forma on-line e “voltarão para o presencial assim que as autoridades de saúde competentes e a UFPE julgarem conveniente”.