• Ceclin
abr 01, 2019 0 Comentário


Centrais lançam abaixo-assinado contra o desmonte da Previdência

Centrais sindicais_Greve_

Da Ascom Sindsep-PE

As centrais sindicais irão lançar um abaixo-assinado contra o desmonte da Previdência, nesta terça-feira (02/04), na praça Ramos, no centro de São Paulo. A ideia é a de que todos os 27 estados brasileiros e o Distrito Federal colham assinaturas contra a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 06 do governo Bolsonaro. As centrais pretendem entregar o abaixo-assinado ao Congresso Nacional, logo após o Dia do Trabalhador, para deixar claro aos deputados que a grande maioria do povo brasileiro rejeita o desmonte de uma das maiores políticas públicas desse país.

O Sindsep irá colher as assinaturas em sua sede. Estão envolvidas na coleta de assinatura a CUT e as centrais sindicais CTB, Força Sindical, Nova Central, CGTB, Intersindical e CSP-Conlutas. “Vamos dialogar com a sociedade sobre essa reforma, mostrar para os trabalhadores os prejuízos dessa proposta do [ministro da Economia] Paulo Guedes e de Bolsonaro. Montaremos barracas, com computadores, inclusive, para simular como ficaria a aposentadoria se a reforma acontecer”, disse Sérgio Nobre, Secretário-Geral da CUT.

A simulação será feira por meio da calculadora da aposentadoria, desenvolvida pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese).

Por meio da calculadora, os trabalhadores poderão saber quanto tempo devem trabalhar para se aposentar com valor integral atualmente e quanto tempo deverão trabalhar caso o desmonte da Previdência de Bolsonaro  (PSL) seja aprovado. Quanto falta para atingir a idade mínima ou qual seria o tempo mínimo de contribuição também são questões respondidas pela calculadora que está disponível no endereço eletrônico da internet (www.dieese.org.br). 

Também é unanimidade entre as centrais a possibilidade de uma greve geral, caso o desmonte da Previdência avance na Câmara Federal. Os trabalhadores também estão sendo orientados a cobrar dos parlamentares eleitos, em seus estados, um posicionamento contra a PEC 06.

Também serão realizadas outras mobilizações de rua. No entanto,  a ideia é não fazer apenas atos de rua, mas encontrar os parlamentares nos aeroportos, em seus gabinetes e até em suas casas, além de fazer um trabalho de informação junto à população por meio de panfletos, cartilhas, vídeos e muito diálogo.

Sindicato dos Servidores Públicos Federais de Pernambuco – SINDSEP-PE