Ceclin
jul 17, 2009 1 Comentário


Cearense é enterrado vivo para salvar a humanidade

Foto: Reprodução/Diário do Nordeste

RIO DE JANEIRO (Da Redação Click21), 17 de julho – Um agricultor, de 64 anos, pediu para ser enterrado vivo. É isso mesmo!
A cena difícil de acreditar foi protagonizada pelo cearense Deusdete Braga do Nascimento, residente no distrito de Taperuaba, na região norte do Ceará, por volta das 11h de quinta-feira (17).
Segundo ele, que ficou debaixo da terra por quase duas horas dentro do caixão, o ato salvaria a humanidade. Deusdete teve apoio da família, que providenciou o enterro com direito a cortejo pelas ruas da cidade. O homem já foi enterrado vivo cinco vezes. “Espero que essa seja a última vez”, afirmou.

COVA IMPROVISADA NO QUINTAL

Após a caminhada, chegou o momento mais aguardado por ele: o enterro. O buraco, escavado no quintal da residência de um dos seus irmãos, tinha seis palmos e meio de profundidade.
Antes, o corpo já havia sido velado na pequena sala do casebre, diante dos olhares de familiares, amigos, curiosos e fiéis incondicionais de sua missão na Terra: “salvar a humanidade no dia do Juízo Final”.

VIVER PARA SEMPRE

Deusdete, que acredita ter recebido a capacidade de viver eternamente, deu as suas explicações: “Foi uma ordem de Deus que veio em sonho. Se o meu corpo não resistisse uma hora sob a terra, o mundo iria acabar”.
O ato, de fé ou insanidade, foi interrompido quando a polícia chegou ao local e deu ordem para desenterrar o agricultor. A situação vexatória fez com que os policiais ficassem confusos quanto ao procedimento a ser adotado.

COMO TUDO COMEÇOU

O agricultor revelou que em 1953, quando tinha 12 anos, foi a uma missa na Igreja de São Francisco, em Canindé, e mentiu para a própria mãe. “Ela queria que eu me confessasse para receber a hóstia sagrada. Mas menti: comunguei sem me confessar. Desde então eu não tive mais alegria”, recorda.
Logo em seguida, Deusdete se arrependeu, mas não pediu desculpas à mãe e ao padre.”Uma sombra que me acompanhava na rua disse que eu não deveria pedir perdão. Carreguei meu arrependimento até completar 28 anos. Foi nesse tempo que, uma voz me apareceu na localidade de Vertente, Santa Quitéria, dizendo que eu estava perdoado e que eu deveria voltar à Igreja, para comungar. Aí veio a ordem de Deus em sonho, para eu salvar a humanidade ao descer à sepultura com vida”, contou.
Com informações da TV Diário e do Diário do Nordeste