Ceclin
fev 22, 2021 0 Comentário


Carreata #ForaBolsonaro

A população de diversas cidades brasileiras voltou às ruas nesse domingo (21.02) para pedir o impeachment do presidente Jair Bolsonaro por causa de sua política genocida que se nega a combater a pandemia do novo coronavírus e por causa de seus ataques e ameaças constantes a democracia. Ocorreram carreatas e bicicletadas em cidades de cinco estados do Nordeste, no Centro-oeste, Sudeste e Sul do Brasil. Foram, pelo menos, 12 estados, além do Distrito Federal.

No Recife, houve uma carreata e o Sindsep-PE com os servidores federais filiados à entidade participaram da mobilização. A concentração do ato, que pediu vacinação para todos (as), a volta do auxílio emergencial e o impeachment do presidente, aconteceu na antiga fábrica da Macaxeira, Avenida Norte. De lá, as pessoas saíram com destino à Zona Sul da cidade. Em Pernambuco, ocorreram atos em Garanhuns, no sábado (20), e em Petrolina e Recife, no domingo (21).

Os organizadores acreditam que o presidente Bolsonaro é o maior empecilho para o País sair da crise sanitária, política e econômica em que se encontra e a maior ameaça à democracia. Bolsonaro nomeou, até agora, mais de seis mil militares para exercer funções civis em seu governo e se escora nesses militares para praticar as maiores atrocidades contra a população brasileira e contra o País. Todas as vezes que seu governo
promove ações que prejudicam a população ou atos de corrupção de seus familiares são investigados, Bolsonaro e seus filhos ameaçam a democracia.

Na semana passada, o deputado federal Daniel Silveira (PSL), um dos maiores apoiadores do clã Bolsonaro, foi preso por publicar um vídeo em suas redes sociais defendendo a dissolução do STF. Mas o próprio Bolsonaro e seus filhos já se pronunciaram, já fizeram publicações nas redes sociais e já participaram de atos exaltando a ditadura militar, suas práticas de tortura e defendendo o fechamento do Supremo e do Congresso Nacional.

“É fundamental que a classe trabalhadora se mobilize porque nós temos um governo que não tem compromisso com a saúde, que tenta forçar a população a usar medicamentos que não têm eficácia contra a Covid-19, e não entende de economia. Na campanha, Bolsonaro já falava que não entendia de economia e que as decisões seriam de Paulo Guedes. Mas esse também não entende de economia. É um governo que também não tem compromisso com a democracia. Por isso, fora Bolsonaro”, comentou o presidente da CUT-PE, Paulo Rocha.

Segundo Paulo Rocha, as mobilizações são importantes para que a classe trabalhadora acumule forças e consiga retirar Bolsonaro da presidência da República. “Outros atos serão realizados e precisamos, cada vez, de mais pessoas envolvidas”, disse.

Sindicato dos Servidores Públicos Federais de Pernambuco – SINDSEP-PE.