Ceclin
abr 15, 2011 1 Comentário


Candidatos a reitor da UFPE debateram em Vitória de Santo Antão

por Lissandro Nascimento


O segundo debate entre os candidatos a Reitor da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) aconteceu na tarde dessa quarta-feira (13), na quadra do Centro Acadêmico da Vitória de Santo Antão, no Alto do Reservatório. Um outro ocorreu ontem (dia 14), em Caruaru. O primeiro turno das eleições acontece no dia 26 de abril, de forma paritária, ou seja, todos diretamente envolvidos com a universidade participam proporcionalmente.

Os temas abordados, como em toda boa campanha política, giraram em torno das dificuldades enfrentadas pelos docentes, estudantes e técnicos-administrativos, tendo como pontos fundamentais a melhoria da estrutura física dos centros acadêmicos, a redução das 30h semanais de trabalho, a melhoria do salário dos professores e funcionários e a diminuição da burocracia enfrentada nos processos internos da instituição pelos estudantes.
A má qualidade dos serviços prestados pelo Hospital João Murilo de Oliveira em Vitória também foi um dos quesitos apontados em caráter de urgência pelos candidatos, assim como a necessidade de dialogar com as comunidades do entorno da universidade.


Estão candidatos, o coordenador de Administração da UFPE – Pierre Lucena, que conta com o seu candidato a vice José Roberto; o atual vice-reitor Gilson Edmar lançou-se depois que rompeu com o atual reitor Amaro Lins, o qual ocupa o posto há oito anos, onde este decidiu apoiar a candidatura de Anísio Brasileiro.
Os três candidatos mostraram-se bastante sutis com a Diretora do CAV/UFPE Vitória, Profa. Florisbela Campos, os quais elogiaram a sua atuação à frente do CAV há cinco anos, quando foi fundado.

Ao longo do debate, poucos temas mostraram-se polêmicos. No tocante a valorização profissional dos professores da instituição, bem como aos seus técnicos administrativos, criou-se uma evidente discordância na forma de encaminhamento que os candidatos pretendem executar como reitores, quanto a implantação dos seus Planos de Cargos e Carreira.

Um ponto polêmico que se destacou no debate foi quando Pierre Lucena indagou ao candidato Anísio Brasileiro quanto as razões que fizeram o seu padrinho político (atual reitor Amaro Lins), aprovar o Curso de Medicina para o Campus da UFPE de Caruaru, visto que o CAV/Vitória detém o perfil para oferecer os cursos na área de saúde, além da cidade ostentar um Polo Médico importante. Em resposta, Anísio Brasileiro afirmou em tom constrangido, que a decisão da atual reitoria baseou-se em uma série de fatores, a exemplo de Caruaru está mais distante da Capital do que Vitória de Santo Antão.

Em sua fala, Pierre se comprometeu enquanto Reitor trazer o curso de Medicina para a UFPE da Vitória de Santo Antão e vaticinou que a decisão de levar Medicina para Caruaru ocorreu por pura acomodação política. Pierre e Gilson lembraram que o planejamento inicial (há 20 anos) para a interiorização da UFPE deixava claro o perfil acadêmico que cada Centro teriam nestas duas cidades.


Outro tema polêmico, mais uma vez levantado por Pierre Lucena, foi a situação do Hospital João Murilo de Oliveira, em Vitória, pelo fato de não ter assumido sua missão em se tornar um Hospital Escola. “O Hospital João Murilo deve ser um elo com a universidade e percebemos uma clara dificuldade nesta relação. O Poder Público não têm compromisso com o Hospital João Murilo, que detém uma pífia gestão, o diretor só aparece três dias por semana. É um absurdo o tratamento que o hospital oferece aos seus usuários. Eu defendo que o Hospital João Murilo passe a ser administrado pela UFPE”, defendeu Pierre.

Como este debate ocorreu na quarta-feira, já na quinta-feira o governador Eduardo Campos decidiu substituir o atual diretor Júlio Reis pelo odontológo Jairo Reis, após pressão recebida pelos participantes que não pouparam críticas a unidade hospitalar do governo do Estado no Seminário Todos por Pernambuco, que aconteceu na terça, em Vitória.

No CAV/UFPE da Vitória de Santo Antão deverão votar no dia 26 de abril, 92 professores, 42 técnicos administrativos, além de 1065 universitários. Atualmente a UFPE/Vitória detém 280 estudantes bolsistas, e há o projeto para construção da Casa do Estudante e de Refeitório lá no Alto do Reservatório.
A Prefeitura local já decidiu transferir o Zoológico Municipal e o Tiro de Guerra do Exército para oferecer as propriedades à ampliação do campus universitário, além de ter doado um terreno às margens da rodovia BR 232 para a construção do seu campi na área de Educação Física.


por Lissandro Nascimento,
com Emerson Lima.



MATÉRIAS VINCULADAS: