Ceclin
out 10, 2013 0 Comentário


Canavieiros de Pernambuco conquistam salário de R$ 726 e diferentes benefícios sociais‏

Após seis dias de negociações, canavieiros/as e classe patronal chegaram a um acordo, na noite de ontem, sobre as reivindicações da pauta da 34ª Campanha Salarial da categoria. Entre as conquistas, destacam-se o salário de R$ 726 (10% acima do aprovado na Convenção passada); o piso de garantia de R$ 12; e cesta básica de R$ 25, no período da safra.

“Foi uma negociação muito difícil, por causa da conjuntura vivenciada pelo setor, mas o resultado foi positivo. Preservamos direitos conquistados em outros anos, e evoluímos em pontos significativos para a classe trabalhadora”, avalia o diretor de Política Salarial da Fetape, Paulo Roberto Rodrigues. Entre as conquistas sociais para a Convenção deste ano, ele destacou o estabelecimento de uma meta estimulativa de 10% de contratação de mulheres, até a safra do ano que vem; a criação de um grupo de trabalho, formada por dirigentes sindicais e patronato, para discutir uma proposta que viabilize a construção de moradias para os assalariados e assalariadas pelo Programa Nacional de Crédito Fundiário; e a instauração de um Fórum para aprofundar o tema das inovações tecnológicas, na tentativa de minimizar as ameaças do uso das novas tecnologias à manutenção dos empregos gerados na região.

A data-base da categoria, que é em 1º de outubro, foi assegurada desde a primeira reunião entre as partes envolvidas. A negociação, com a classe patronal, das noventa e nove cláusulas constantes na pauta de reivindicações foi realizada pela Fetape, Sindicatos dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais de toda a Zona da Mata e Contag, com o apoio do Dieese.

Etapas da Campanha – A 34ª Campanha, que trouxe como tema “Trabalho Decente + Acesso a Políticas Públicas = Qualidade de Vida”, começou desde o mês de junho, com um Encontro de Preparação, que subsidiou os dirigentes sindicais da Zona da Mata para o processo de negociação. Em agosto, aconteceu o Congresso de Delegados e Delegadas Sindicais, onde foram discutidas as prioridades da classe trabalhadora e elaborada a pauta. No mês de setembro, ocorreram assembleias de aprovação do documento. As negociações com a classe patronal começaram no dia 30 de setembro e terminaram nesta quarta-feira (09/10).

 com informações da Assessoria.