• Ceclin
ago 14, 2019 0 Comentário


Campeonato ‘Velocross Sem Limites’ acontecerá em Gravatá

paisagens da zona rural têm sido um ponto que tem atraído diversos competidores para os eventos. Foto: Ricardo Labastier / SECOM Gravatá

Paisagens da zona rural têm sido um ponto que tem atraído diversos competidores para os eventos em Gravatá. Foto: Ricardo Labastier / SECOM Gravatá

Entre os dias 24 e 25 de agosto, Gravatá irá sediar mais um grande evento de esporte e aventura. O “Velocross Sem Limites”, campeonato que envolve motos e velocidade, irá reunir pilotos de todo o Nordeste, com provas que prometem muita emoção e adrenalina. O evento será realizado na fazenda Caroá.

“O turismo de esportes radicais está crescendo muito em nossa cidade. Cada vez mais, recebemos atletas e amantes desse tipo de esporte em diversas edições na cidade, como é o caso dos eventos da Trilha da Amizade, Bacurau, São Severino, Mandacaru, Bairro Novo, entre tantos outros. Com certeza, o “Velocross sem Limites” será mais um super evento no Município,” afirmou o Prefeito Joaquim Neto (PSDB).

O piloto gravataense e um dos organizadores do evento, Gabriel Pontes, falou sobre suas expectativas para o campeonato e sobre os preparativos. “Esse vai ser um evento muito bom, porque teremos aqui pilotos profissionais de grandes equipes. O fato de nossa cidade sediar um evento como esse, é motivo de orgulho, além de ser uma grande oportunidade que teremos pra mostrar que em Gravatá tem pilotos muito talentosos”, disse.

Ainda segundo os organizadores, a estrutura, bem como, o diferencial das paisagens da zona rural têm sido um ponto que tem atraído diversos competidores para os eventos que têm ocorrido em Gravatá.

Sobre o esporte:

O Velocross, ou VX, como é conhecido, é uma modalidade esportiva na qual competem pilotos que utilizam vários modelos e tipos de motos, como Trial ou Off-Road, usadas também no Cross Country, Endurode Regularidade e no Motocross. A grande diferença é na preparação das motos e no tipo de pista.

Na preparação das motos, o objetivo é garantir maior potência, aceleração e velocidade em detrimento da suspensão, pois, no Velocross – ao contrário do Motocross – não há obstáculos como saltos, duplos, triplos, mesas, costelas e outros, que exijam uma boa suspensão para absorção de choques. As pistas de Velocross são de média para alta velocidade, com traçados sinuosos e muitas curvas. Devem ser gradeadas, niveladas e molhadas para maior proteção dos pilotos. Pode ser inserido no traçado obstáculos tipo rampa ou ‘lançador’ (Um aclive suave para saltos longos, baixos e de pouco impacto na suspensão).

O comprimento oficial da pista é de mil metros, mas podem ser realizadas competições em pistas com extensão mínima de 600 metros e máxima de mil e 200 metros. A largura mínima entre “bumpings” (demarcadores de pista) é de 6 metros, com um ideal de 10 metros de largura. O local de largada deve possuir uma largura mínima de 30 metros transversal à pista. A primeira curva deverá ter no mínimo 10 metros de largura.

Os campeonatos geralmente acontecem de quatro a seis etapas e está dividido entre cinco e oito categorias de acordo com a realidade de cada região: no caso da Copa arranca toco Importada: Vx1,Vx2,Vx3, Nacional A, B e C.  Vx pop. Vx titan. As provas têm um tempo pré-determinado que varia de 5 a 20 minutos, mais duas voltas. A sinalização em uma prova de Velocross é idêntica a do Motocross e ocorre geralmente por placas ou bandeiras, cada cor de bandeira tem um significado.