Ceclin
abr 01, 2008 2 Comentários


Campanha eleitoral irregular é combatida em Chã Grande e Gravatá

Com recomendações eleitorais expedidas para os municípios de Chã Grande e Gravatá, já são 46 as cidades em que a propaganda extemporânea está sendo combatida pelo Ministério Público de Pernambuco (MPPE).
Nestes dois municípios, a promotora Fernanda Henriques da Nóbrega deu prazo de 48 horas para que todos os pré-candidatos, partidos e eleitores recolham peças publicitárias cujo foco seja o pleito de 2008 ou promoção pessoal de políticos e gestores. Quem não cumprir a recomendação estará sujeito a uma representação eleitoral que pode culminar em multa (de R$ 21,282,00 a R$ 53.205,00) ou, em casos extremos a impugnação da candidatura. A legislação brasileira só permite a realização de propaganda eleitoral a partir do dia 6 de julho do ano em que se realiza o pleito. (Folha On Line).