• Ceclin
dez 16, 2009 3 Comentários


Câmara em última Sessão do ano aprova doação de terrenos

A última Sessão Ordinária do ano da Câmara de Vereadores da Vitória de Santo Antão ocorrida nessa terça-feira (15) apreciou alguns projetos de Lei de doação de terrenos para novos empreendimentos.
Dentre estes, as empresas DS Distribuidora Comércio de Importação e Exportação LTDA Hortifrutigranjeiro; Josenildo Gomes de Medeiros M.E.; ainda o Proj. nº 47/09 – relativo a doação de terreno a Empresa de Fabricação de Pré-moldados, que não chegou a ir para votação e foi encaminhado para análise das Comissões da Casa Diogo de Braga.
Houve um Requerimento do Dr. Saulo (PSB), apelando a Prefeitura e sua diretoria de trânsito para provindenciar o recuo da faixa sentido cidade de 8 metros no sinal defronte a Casa dos Pobres.

Havia ainda os projetos 17/09 e 22/09 que concedem título de cidadão vitoriense ao Pe. Renato Cavalcanti – Pároco da Matriz de Sto. Antão; e ao Secretário do Governo do Estado Fernando Bezerra Coelho. De autoria dos vereadores Sylvio Gouveia (PSB) e Frasão (PR), respectivamente.
Também foi apreciado e aprovado o Voto de Aplauso aos sete Representantes do Município na II Conferência Estadual de Cultura, de autoria do Vereador Novo da Banca (PSB). Registrando a contribuição destes às políticas culturais debatidas neste evento realizado no dia 10 de dezembro. Participaram: Alexandre Rogério (ADVISA), Gilberto Claudino Júnior (DCE/FACOL), Cleiton Santiago (Cia dos 10), Dennys Anderson (Centro das Mulheres), André Santinho (Capoeira Origem Negra), todos da sociedade civil; além dos representantes do Governo municipal nas pessoas de Herika Araújo (Coordenadora de Cultura) e Beto do Pró-asfalto (Sub Prefeito do Distrito de Pirituba).

Antes da votação das proposições foi aberto o grande expediente e o primeiro a usar a tribuna foi o vereador Pedro Queiroz (PPS), como sempre contando suas estórias e experiência de vida. Aproveitou para cobrar maiores critérios na distribuição de títulos de cidadão. “Já foi entregue a gato e cachorro”, afirmou.
Aproveitou para contar um fato de um antigo vereador que participava de uma Gincana, pelo qual uma das provas era falar com o renomado comunicador Samir Abouana. Quando este atendeu, o vereador agradeceu pela atenção e falou que gostaria de conceder-lhe o título de cidadão vitoriense.
O Radialista polido disse ao mesmo que tal título não era merecedor, pois não tinha serviços prestados a Vitória de Santo Antão.

Queiroz afirmou que espera para o próximo ano um governo mais ágil. “Espero em Deus que a cidade melhore. Tudo indica que teremos bons avanços em 2010″, ironizando o Governo do Prefeito Elias Lira (DEM).
Pedro Queiroz terminou alfinetando, como sempre: “O melhor para Vitória não é Elias Lira nem o José Aglailson. Os dois já deveriam se aposentar. Devem procurar uma rede e um local ventilado para descansar”, aconselhou.

O vereador ainda afirmou que se elegeu através de votos independentes. “Não precisei comprar votos no período eleitoral”, garantiu. Aconselhou que se estabeleça entre os representantes políticos a seriedade do debate democrático.
Ele citou que a polarização existente entre ele e o vereador licenciado (!) José Aglaílson (PSB) é dentro do respeito e a livre democracia. “Apesar de ser um debate que anima o povo. Porém o povo só vem para a Câmara para presenciar brigas e disputas pessoais. Isso empobrece o debate”, ponderou.

Seguido pelo Vereador André de Bau (PMN) focalizando os diversos Requerimentos e Projetos de Lei a serem apreciados no plenário da Casa, defendeu a sua importância para a municipalidade, o qual foi aparteado por Novo da Banca no sentido de garantir que estes projetos possam ser votados ainda este ano e se possível nesta Sessão.
André de Bau referendou a proposta salientando que os investimentos que essas empresas trarão a cidade garantirá benefícios a médio prazo.

André lembrou as dificuldades encontradas nesse ano por parte da administração municipal, apostando que as coisas melhorem no próximo ano. Considera que conseguiu cumprir o seu dever como parlamentar este ano. Aproveitando para elogiar a atuação de Mano Holanda na condução da presidência da Casa.
Para o parlamentar, se referindo a Pedro Queiroz, houve uma manobra eleitoral em 2008, pois considera que o eleitor “votou em Pedro, porque tinham raiva de Aglaílson”, analisou.

Dr. Saulo em sua intervenção chamou a atenção para o resultado no TCE/PE do Concurso Público realizado pela Prefeitura em 2006. Ele afirmou que era contrário a uma possível anulação, citando que em uma Reunião na Câmara específica para tratar do assunto discordou de inúmeras colocações dos Secretários Edmo Neves e Osvaldo Gouveia, quando foram chamados para esclarecer sobre o assunto.
Em defesa do colega, Dr. Saulo lembrou que Pedro Queiroz estava a favor dos efetivados que recebiam até 1 salário mínimo se mantivessem nos seus cargos.
Ele agradeceu aos seus pares por está usando o veículo da Câmara diariamente, em virtude do seu carro particular ter sido furtado acerca de 55 dias.

Aparteado por Pedro Queiroz, este o parabenizou pela sua posição. “Se o Concurso fosse anulado iria pedir ao Prefeito Elias Lira que os assalariados se mantivessem nos cargos”, externou Pedro.
Queiroz reafirmou que continuava contrário ao modo como os advogados concursados tornaram-se procuradores do Município, recebendo um salário no valor mensal de R$ 16.000,00.
Ele lembrou que Vitória detém 12 Procuradores, enquanto todo o Estado tem 36 Procuradores e 304 Promotores.
Indagou sobre a razão “de um médico ganhar R$ 1.500,00 e um Advogado travestido de Procurador ganhar R$ 16.000,00. Qual a receita de cidade que aguenta isso?”, questionou Pedro.

Continuando, Dr. Saulo afirmou que é partidário do PSB e não de Aglaílson ou de quem quer que seja. Lamentou que em muitas Sessões a ausência constante do seu colega de partido (Aglaílson) é notada, o qual sempre recorre sistematicamente a atestados médicos e licença remunerada do mandato.

Por sua vez, Novo da Banca noticiou que recebeu um informe da Prefeitura com relação a Escola 7 de Setembro, a qual será destinada para aulas de cursos profissionalizantes, deixando de lecionar o ensino fundamental.
Lamentou, corroborando com o Dr. Saulo, da distância dos dirigentes do seu partido, o qual cobrou mais diálogo por parte de seus dirigentes com os seus filiados ao PSB. “Não há vida partidária entre nós”, ponderou.

Sobre o Concurso Público, o vereador Everaldo Arruda (PSDB), informou que houve na última segunda-feira uma Reunião com o Prefeito Elias Lira, no sentido de que se evitasse falácias pelo fato dos concursados estarem legalmente efetivados. Aproveitando para parabenizá-los pela confirmação da legalidade e aconselhou para que se evitasse “fofocas” relativas ao certame.

O Presidente da Casa, Mano Holanda (PMDB), citou a importância das doações de terrenos às Empresas que se instalam e defendeu que estes sejam aprovadas na presente Sessão.
Suspendeu a Sessão por dez minutos a fim de que os membros das Comissões dispensassem o Parecer dos Projetos relativos a doação de terrenos e demais.
A Comissão de Justiça e Orçamento é composta por Novo da Banca, Pedro Queiroz e André de Bau.

Encerrando a última ordinária do ano, o Presidente desejou aos seus pares votos de Boas Festas, agradeceu a todos os presentes pelo apoio incondiconal a sua gestão a frente da Câmara. Aproveitou ainda para lembrar que nesta quarta-feira acontece uma Sessão Solene de entrega de título de cidadão vitoriense ao Ginecologista e Obstetra Dr. Stevam Rios.

por Gilberto Júnior,
Enviado Especial.