Ceclin
ago 15, 2009 1 Comentário


Câmara de Vereadores de Pombos: união a serviço do povo

A Câmara de Vereadores da cidade de Pombos na noite da quinta feira (13) em mais uma Sessão Ordinária derrubou veto ao projeto de lei nº 16/2009 oriundo do poder executivo.
Como é de costume a população pombense sempre comparece para verificar de perto a atuação dos vereadores eleitos com voto popular.

Com a ausência dos vereadores Beto da Ambulância (PR), Luiz Baé (PTB) e Chalegre (PMN).
Após a leitura do ofício enviado pela Prefeita do município, Jane Sudário (PR), que explicava o veto a emenda feita pela vereadora Neide de Roque (PMN) ao projeto de lei nº 16/2009, que se refere à proteção da criança e adolescente. O veto foi colocado em votação e foi derrubado por unaminidade voltando o mesmo para o Executivo.
No tempo livre os vereadores aproveitaram para comentar sobre o veto e fazer agradecimentos aos colegas que apoiaram a vereadora Neide de Roque.
Ao subir na tribuna para fazer uso de seu tempo livre a vereadora Neide agradeceu ao apoio recebido por seus colegas e comentou sobre o ofício enviado pela Câmara de Vereadores para a Secretaria de Ação Social pedindo esclarecimentos sobre o Programa de Erradicação do Trabalho Infantil que (PETI), que segundo reclamações dos beneficiados, estava recebendo menos que um salário mínimo e com proposta de até R$ 150,00 por mês.
Ao receber a resposta da referida Secretária, a vereadora achou que se tratava de uma brincadeira, pois em ofício enviado a Câmara a Secretária comunicava que desconhecia o caso sem dar maiores informações, gerando assim um protesto da vereadora.
O vereador Murilo (PR), fazendo uso de seu tempo livre prestou esclarecimentos sobre o PETI dizendo que essas pessoas são beneficiadas e não são funcionários da Prefeitura ou da Secretaria de Ação social.
Apesar de fazer parte da bancada do Governo Municipal, o vereador Murilo reconheceu que o programa precisa ser organizado e que os vencimentos precisam ser pagos de maneira que a cada mês as pessoas saibam quanto vão receber.
“Não é correto uma pessoa receber um valor e no mês seguinte receber menos” acrescentou.
Finalizando sua participação, o vereador mais uma vez elogiou o comparecimento da população nas reuniões e pediu ao presidente da Câmara, Marcos de Porteira (PCdoB), que enviasse um ofício em nome de todos os vereadores solicitando a Secretária de Assistência Social que resolva o problema com urgência.
Após o tempo livre o presidente da Câmara encerrou a Sessão e o período legislativo, entrando em recesso parlamentar, ficando a próxima marcada para o dia primeiro de Outubro do corrente ano.


Por Orlando Leite.